Pai é acusado de matar filhos após filmá-los despedindo-se da mãe

Um pai zimbabuense que gravou um vídeo dos filhos se despedindo da mãe antes de estrangulá-los, em outubro do ano passado, está sendo julgado na Grã-Bretanha. Petros Williams, de 37 anos, teria decidido matar as crianças Yolanda e Theo Molemohi, de 4 e 2 anos respectivamente, depois que seu casamento com Morongoe Molemohi acabou.

BBC Brasil |

"A promotoria alega que isso foi uma reação rancorosa e egoísta ao fim de seu casamento. Foi um ato deliberado de assassinato", disse ao júri o promotor Andrew Thomas.

Polícia de Manchester
NONO

Yolande e Theo em imagem divulgada pela polícia de Manchester


No vídeo exibido durante o julgamento, as duas crianças aparecem sentadas em um sofá sendo estimuladas pelo pai a dizerem "adeus" à sua mãe.

Dois dias depois, a mulher de 30 anos encontraria seus dois filhos mortos por enforcamento com cabos de computador no apartamento em que moravam com o pai, em Manchester.

"Eu fui pegá-los de debaixo do cobertor. Eu pensei que eles estivessem dormindo", disse a mãe.

Segundo a acusação, o uso dos cabos para o estrangulamento foi um "simbólico ato de punição", porque o réu estaria revoltado com o fato de a ex-mulher estar usando programas de relacionamento na internet para encontrar novos parceiros.

Despedida

No local do crime foi encontrada a fita com a gravação de despedida, em que estava escrita a mensagem "Papai, Yolly, Theo. Adeus. O Fim."

Um bilhete anexado à fita dizia: "Veja o vídeo, feito para suas memórias, obrigado, Petros."

"É difícil dizer por que o acusado fez o vídeo naquele momento e por que ele decidiu tomar essa ação drástica dois dias depois", disse Thomas à Corte.

No apartamento também foram encontradas outras mensagens que, segundo a promotoria, seriam de despedida também.

"Boas coisas chegam ao fim, tchau Mo. Petros", dizia um deles. Recados como "Eu amo vocês, Theo e Yolanda. Vocês foram uma grande companhia, encontro vocês no céu. Com amor. Papai Petros" e "Perdão, meus queridos Yolly e Theo, sinto muito que a mamãe decidiu nos deixar por um novo namorado" também foram achados no local.

"Os bilhetes eram, na verdade, mensagens de suicídio, dizendo adeus para sua esposa e colegas. Se o réu tinha a intenção de se matar, ele não havia ido muito longe nesse objetivo. (Quando foi encontrado junto das crianças mortas) Ele estava bem vivo, apesar de não parecer bem", relatou o promotor.

Fim do relacionamento

O zimbabuense Petros Williams conheceu Morongoe Molemohi, de Lesoto, na África do Sul, em 2000, quando ambos estavam estudando lá. O casal se mudou para a Grã-Bretanha dois anos depois.

Seu casamento já vinha passando por uma crise havia algum tempo. Molemohi chegou a procurar uma organização de proteção à mulher alegando que seu marido havia tentado estrangulá-la.

"Em setembro, Molemohi estava ativamente procurando por outros homens em sites de relacionamento. Ela não fazia segredo sobre isso", explicou o promotor. Por causa disso, Williams teria pedido à mulher que deixasse a casa uma semana antes de matar as crianças.

Mas a mãe continuava indo ao apartamento todos os dias para levar as crianças para a escola. O julgamento prossegue.

Leia mais sobre Grã-Bretanha

    Leia tudo sobre: assassinatogrã-bretanhazimbábue

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG