Pacote europeu faz bolsas dispararem em todo o mundo

Bolsas de valores do mundo inteiro apresentaram altas significativas nesta segunda-feira depois do anúncio de que a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) irão disponibilizar um pacote de mais de R$ 1 trilhão para fortalecer o euro e evitar que a crise da dívida grega atinja outros países do continente. Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones, da Bolsa de Valores de Nova York, fechou a segunda-feira com uma alta de 3,90%, enquanto o Nasdaq teve alta de 4,81% e o índice mais amplo S&P 500 apresentou crescimento de 4,40%.

BBC Brasil |

selo

Bolsas de valores do mundo inteiro apresentaram altas significativas nesta segunda-feira depois do anúncio de que a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) irão disponibilizar um pacote de mais de R$ 1 trilhão para fortalecer o euro e evitar que a crise da dívida grega atinja outros países do continente. Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones, da Bolsa de Valores de Nova York, fechou a segunda-feira com uma alta de 3,90%, enquanto o Nasdaq teve alta de 4,81% e o índice mais amplo S&P 500 apresentou crescimento de 4,40%. A Bolsa de Valores de São Paulo também foi atingida pelo otimismo dos mercados, com o índice Bovespa encerrando o dia com uma alta de 4,11%, chegando a 65.452 pontos. O dólar, por sua vez, registrou queda de 3,99%, sendo negociado a R$ 1,77. Horas antes, os mercados europeus também reagiram bem ao anúncio do pacote, com destaque para a Espanha - país que também sofre com um grande déficit orçamentário -, onde a bolsa de Madri teve alta de 14,43%. Já em Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 5,16%. As bolsas de Paris e Frankfurt também acompanharam o movimento, fechando com 9,66% e 5,3% de alta, respectivamente. Pacote O pacote de 750 bilhões de euros anunciado na madrugada desta segunda-feira pela União Europeia e pelo FMI pegou os mercados de surpresa pelo seu tamanho e pelas mudanças que pode trazer à zona do euro. "Se tomarmos este pacote por seu valor de face, ele significa que as regras da União Monetária Europeia foram fundamentalmente reescritas", diz Stephanie Flanders, editora de Economia da BBC. Pelos termos do acordo, os dezesseis membros da zona do euro terão acesso a um montante de 440 bilhões de euros provenientes de um Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira, e a outros 60 bilhões euros em recursos da Comissão Europeia - o braço executivo do bloco. Além disso, o Fundo Monetário Internacional deve contribuir com 250 bilhões para proteger as economias europeias. Dúvidas O pacote tem o objetivo de evitar que a crise da dívida grega se espalhe por outras economias europeias, principalmente para aquelas que possuem grandes déficits orçamentários, como Portugal e Espanha. A preocupação de que outros países possam ser atingidos pela crise fez com que o euro se desvalorizasse e bolsas de valores do mundo inteiro registrassem quedas nas últimas semanas. Embora as reações dos mercados tenham sido bastante positivas em relação ao pacote, a editora de Economia da BBC afirma que ainda restam dúvidas sobre como funcionará o mecanismo que irá supervisionar a liberação dos 440 bilhões de euros. "Nós ainda não sabemos muito sobre como este mecanismo especial irá funcionar. Mas, se há alguma lição aprendida nos últimos meses, é de que esses países devem organizar isso rapidamente", diz Stephanie Flanders. Alguns analistas e investidores também demonstraram temores de que o pacote não sirva para corrigir o problema do alto endividamento de alguns países europeus. Estas dúvidas se refletiram nas negociações do euro nos mercados nesta segunda-feira. A moeda única europeia começou o dia reagindo positivamente ao pacote, valorizando-se tanto em relação ao dólar quanto em relação à libra esterlina. Estes ganhos, no entanto, acabaram sendo praticamente anulados, com o euro fechando a segunda-feira nos mesmos patamares em que havia iniciado o dia.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG