Hugo Chávez que esclarecer se herói da independência foi assassinado há quase dois séculos

selo

Imagem de vídeo mostra cerimônia na qual os ossos de Bolívar foram exumados
Reuters
Imagem de vídeo mostra cerimônia na qual os ossos de Bolívar foram exumados
Os ossos do herói da independência venezuelana, Simón Bolívar (1783-1830), foram exumados nesta sexta-feira a pedido do presidente Hugo Chávez. O líder venezuelano quer esclarecer se Bolívar foi ou não assassinado há quase dois séculos.

Para Chávez, Bolívar foi vítima de uma conspiração e não morreu de tuberculose, como acredita a maioria dos historiadores. Chávez anunciou a exumação dos restos de Bolívar em sua conta no Twitter, afirmando que "chorou de emoção".

"Que momentos impressionantes vivemos esta noite. Vimos os ossos do Grande Bolívar!", escreveu o Chávez no site de microblogging. "Aquele glorioso esqueleto deve ser de Bolívar, pois sua chama pode ser sentida. Bolívar vive!", acrescentou.

Peritos criminais

A Procuradora-Geral da República, Luisa Ortega Díaz, afirmou que mais de 50 especialistas, incluindo peritos criminais e patologistas examinaram os ossos para verificar se Bolívar foi vítima de uma conspiração e não de uma doença. "Fizemos descobertas importantes que serão anunciadas à nação no momento apropriado", disse Díaz.

Conhecido como "o Libertador", Simón Bolívar liderou a guerra revolucionária no século 19 contra a Espanha, conseguindo a independência de territórios que depois viriam a constituir a Venezuela e vários outros países da América do Sul.

O presidente venezuelano alega que Bolívar foi a inspiração para a sua chamada revolução "bolivariana", apesar de alguns historiadores afirmarem que Bolívar não concordaria com algumas políticas socialistas de Hugo Chávez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.