Obama liga para Bachelet oferecendo ajuda após terremoto

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, entrou em contato com a presidente chilena Michelle Bachelet, depois do terremoto de magnitude 8,8 que atingiu o país neste sábado. Em um telefonema de Washington, Obama afirmou que os Estados Unidos podem enviar recursos para ajudar o Chile, caso o governo do país precise.

BBC Brasil |

Obama elogiou Bachelet pela reação do governo chileno ao desastre e falou sobre a capacidade e especialização dos serviços do país para lidar com terremotos. O presidente ainda insistiu que os Estados Unidos estão prontos para ajudar nos trabalhos de resgate e recuperação do país.

Bachelet por sua vez agradeceu ao presidente americano e afirmou que voltará a falar com Obama caso o Chile precise de ajuda.

O terremoto no Chile também gerou um alerta de tsunami para vários países do Pacífico, do Japão à Nova Zelândia e também o Havaí. Com isso, Obama pediu aos americanos que moram na ilha que sigam as orientações de evacuação das áreas mais vulneráveis.

O primeiro-ministro britânico Gordon Brown afirmou que a Grã-Bretanha vai fazer tudo o possível para ajudar o governo do Chile.

França e Argentina também já ofereceram ajuda ao Chile e a Suíça informou que está enviando uma pequena equipe de avaliação da situação.

ONU
O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, está "monitorando com atenção os acontecimentos, incluindo o risco de tsunamis, depois do grande terremoto no Chile", de acordo com uma declaração de seu gabinete.

De acordo com porta-voz da ONU, Martin Nesirky, o secretário-geral da organização também ofereceu ajuda ao governo chileno e está tentando entrar em contato com a Comissão Econômica da ONU para a América Latina e Caribe (CEPAL), que tem sua sede em Santiago, para obter uma avaliação do impacto do terremoto e também a situação dos funcionários da organização.

Na tarde deste sábado um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou da base aérea de Brasília levando o ministro da Justiça chileno, Jorge Toledo, que estava em Brasília para um congresso da Organização dos Estados Americanos (OEA), de volta para Santiago.

Segundo a FAB, a previsão é de pouso em Santiago mesmo com o aeroporto da capital chilena fechado devido ao tremor. Ainda não há informações sobre o retorno de brasileiros que estão no Chile com este avião, mas a FAB informou que a aeronave tem capacidade para transportar 12 passageiros.

E equipes de ajuda estão sendo enviadas ao Chile por instituições de caridade britânicas. A Oxfam está enviando uma equipe de engenheiros hidráulicos e outra especializada em logística que estão na Colômbia e também está tentando entrar em contato com outras organizações no Chile para acelerar a ajuda.

"O Chile é um país desenvolvido com um governo muito capacitado e é improvável que este desastre seja tão grave como o que vimos no mês passado no Haiti, mas queremos estar no lugar certo para ajudar o mais rápido possível", afirmou Jeremy Loveless, vice-diretor de ajuda humanitária da organização.

A organização Save de Children também informou que está avaliando a situação no Chile para mobilizar equipes e enviar ao país.

A Cruz Vermelha da Grã-Bretanha já liberou 50 mil libras (quase R$ 138 mil) de seu Fundo de Desastres para a Cruz Vermelha chilena.

"A Cruz Vermelha chilena tem experiência na resposta a desastres naturais e estamos fazendo esta liberação imediata de verbas para apoiar seus esforços de ajuda", afirmou Pete Garratt, gerente de ajuda em desastres da organização britânica.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG