Obama e Netanyahu discutem retomada de negociações

Enviado dos EUA vai ao Oriente Médio nesta semana para mediar primeiras conversas entre israelenses e palestinos em mais de 1 ano

BBC Brasil |

O presidente americano, Barack Obama, conversou por telefone nesta segunda-feira com o premiê israelense, Binyamin Netanyahu, para discutir a retomada das negociações de paz com os palestinos e sugeriu a transição rápida para as negociações diretas entre as duas partes.

O porta voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse que os dois líderes "discutiram a melhor forma de trabalhar juntos para alcançar a paz no Oriente Médio, em particular sobre como usar as negociações indiretas entre israelenses e palestinos e movendo para negociações diretas o mais rápido possível".

Gibbs disse que Obama teria reiterado a Netanyahu o "compromisso irrevogável" dos EUA com a segurança de Israel. O enviado americano para o Oriente Médio, George Mitchell, viajará para a região esta semana para mediar as primeiras negociações entre israelenses e palestinos em mais de um ano.

Egito

Nesta segunda-feira, Netanyahu se reuniu com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, antes do lançamento das negociações de paz indiretas para o Oriente Médio.

Netanyahu e Mubarak conversaram durante 90 minutos na cidade egípcia de Sharm el-Sheikh. Uma declaração oficial do governo israelense afirmou que a reunião foi "construtiva" e "ocorreu em uma boa atmosfera".

AFP
Netanyahu e Mubarak durante reunião nesta segunda-feira

Os dois líderes "revisaram os esforços internacionais e egípcios para preparar o terreno para as negociações indiretas que visam a solução (dos conflitos no Oriente Médio) com a convivência entre os dois Estados", de acordo com informações da agência de notícias egípcia MENA.

No domingo, os ministros do Exterior dos países membros da Liga Árabe apoiaram a retomada das negociações de paz entre palestinos e israelenses.

Renovação

O gabinete de governo de Netanyahu informou que os dois líderes discutiram a "renovação do processo de paz e outras questões regionais e bilaterais". O site de notícias israelense Ynet informou nesta segunda-feira que as negociações indiretas devem começar na quarta-feira. Mas os líderes palestinos querem que a OLP (Organização para a Libertação da Palestina) se junte às negociações e a organização não deve se reunir até sábado.

As negociações de paz entre israelenses e palestinos estão paralisadas desde 2008. Os planos para o lançamento das negociações fracassaram no mês passado devido ao projeto de Israel de construir 1,6 mil casas na área ocupada do leste de Jerusalém.

Assentamentos

Israel ocupa a Cisjordânia, incluindo o leste de Jerusalém, desde 1967. Os israelenses insistem que Jerusalém continuará como a capital indivisível. Cerca de meio milhão de judeus vivem em mais de cem assentamentos na Cisjordânia, em meio a uma população de cerca de 2,5 milhões de palestinos. De acordo com as leis internacionais, os assentamentos israelenses são ilegais, mas Israel contesta isto.

Os palestinos se recusaram a entrar em negociações diretas a não ser que Israel paralise completamente as construções na Cisjordânia e no leste de Jerusalém.

Israel impôs um prazo limite de dez meses para o fim da construção de novas residências na Cisjordânia, mas afirmou que vai continuar com as construções em Jerusalém. No entanto, há indicações de que pode estar ocorrendo uma desaceleração não oficial nas aprovações de grandes projetos no leste da cidade.

    Leia tudo sobre: oriente médiobarack obamaisrael

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG