Obama disponibiliza 'todos os recursos' para conter vazamento

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que "todo recurso disponível" do governo será usado para conter o vazamento de petróleo de uma plataforma no Golfo do México que explodiu e afundou na semana passada. "Enquanto a British Petroleum (dona da plataforma) é em última instância responsável por financiar os custos da resposta e operações de limpeza, minha administração continuará a usar todo recurso disponível, incluindo potencialmente o departamento de Defesa", disse o presidente.

BBC Brasil |

O presidente dos EUA, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que "todo recurso disponível" do governo será usado para conter o vazamento de petróleo de uma plataforma no Golfo do México que explodiu e afundou na semana passada. "Enquanto a British Petroleum (dona da plataforma) é em última instância responsável por financiar os custos da resposta e operações de limpeza, minha administração continuará a usar todo recurso disponível, incluindo potencialmente o departamento de Defesa", disse o presidente. Obama afirmou que ordenou que a secretária nacional de Segurança Interna, Janet Napolitano e a chefe da Agência de Proteção Ambiental, Lisa Jackson, visitem o local na sexta-feira para verificar que tanto a BP como o governo estão fazendo o máximo possível para conter o vazamento e determinar sua causa. O governo americano classificou o vazamento como um evento de importância nacional, possibilitando assim o uso de recursos de várias partes do país para conter o vazamento de cerca de 5 mil barris de petróleo por dia. Métodos Os esforços para conter o vazamento são dificultados pela profundidade do poço, cerca de 1.525 metros abaixo da superfície. Depois de atear fogo em uma área de 50 km para tentar conter a mancha, engenheiros estão trabalhando na construção de um tipo de cúpula para cobrir o poço, impedindo que o petróleo chegue à superfície. O conteúdo da cúpula seria então dragado para contâineres, mas teme-se que esta solução demore semanas para ser colocada em prática. Existe também a preocupação de que o uso de robôs submarinos leve muito tempo para estancar o vazamento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG