Museu americano divulga gravação inédita da voz de Bismarck

Gravação de 1889 de um dos articuladores de unificação alemã foi feita por técnico do inventor do fonógrafo, Thomas Edison; ouça áudio

BBC Brasil |

selo

Reprodução
Otto von Bismarck
Uma gravação da voz do estadista alemão Otto von Bismarck feita em um cilindro fonográfico de cera foi divulgada por um museu americano. É a primeira vez que a voz de Bismarck é ouvida em mais de cem anos.

A gravação foi feita em 1889 por um técnico trabalhando para o inventor do fonógrafo, Thomas Edison. Agora, ela foi restaurada pelo museu Thomas Edison National Historical Park, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, usando tecnologia digital.

Bismarck foi primeiro-ministro da Prússia e um dos principais articuladores da unificação da Alemanha, em 1871, após uma série de guerras e negociações diplomáticas com países como a França, a Áustria e Dinamarca.

Durante duas décadas como chanceler do Império Alemão, ele ficou conhecido pela busca da manutenção da paz do continente europeu e pela política interna nacionalista e militarista.

'Sensacional'

A Fundação Otto von Bismarck, na Alemanha, disse que a descoberta é "sensacional", já que se acreditava que as gravações estavam perdidas. O cilindro estava entre outros 17 encontrados em 1957 em uma caixa sem nome na biblioteca do laboratório de Edison em Nova Jersey.

A voz de Bismarck é pouco audível, mas é possível distingui-lo recitando partes de poesias e de canções e dando conselhos a seu filho, em alemão. Em determinado momento, ele também canta os primeiros versos do hino nacional francês, A Marselhesa.

Os cilindros, que foram a primeira mídia comercial para a gravação e a reprodução de som, também revelaram músicas e rapsódias de músicos húngaros e alemães, incluindo o que se acredita ser a primeira gravação do compositor polonês Frédéric Chopin.

Ouça o áudio:

    Leia tudo sobre: bismarckprússiaThomas Edisonalemanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG