Muro que separa EUA do México será estendido 100m para dentro do mar

Projeto Surf Fence quer substituir cerca já existente que pode ser ultrapassada por imigrantes ilegais na maré baixa

BBC Brasil |

selo

M.T. Fernandez
Nova cerca entre Tijuana e San Diego terá 2,5 metros de altura a mais que a existente hoje
O governo dos Estados Unidos está construindo uma prolongação do muro localizado na fronteira com o México que entra quase cem metros dentro do mar. Os trabalhos de ampliação ocorrem nas praias de Tijuana (México) e San Diego (Califórnia, EUA), o ponto mais ocidental da fronteira entre os dois países.

O projeto Surf Fence ("cerca do surfe", em inglês) pretende dificultar a entrada de imigrantes sem documentos nos EUA vindos do México. Mais de 20 mil agentes do serviço americano de Alfândega e Controle de Fronteiras (CBP, sigla em inglês) vigiam a zona de fronteira com o território mexicano.

Com o projeto Surf Fence, os EUA pretendem substituir uma cerca já existente que chega até a costa, mas que, segundo as autoridades, pode ser ultrapassada nos períodos de maré baixa. Nos últimos anos, a CBP fortificou mais de 1 mil km da fronteira entre os EUA e o México, afirma a repórter da BBC Mundo em Los Angeles, Valeria Perasso.

"Sem a cerca, a travessia ilegal até os Estados Unidos seria insustentável, e precisamos de uma infraestrutura física, além de oficiais nessa zona", disse à BBC Michael Hance, oficial de operações da Patrulha de Fronteira.

Veja o especial do iG sobre a imigração nos EUA

No lugar dos sarrafos de metal corroído que existem atualmente, a CBP gastará US$ 4,3 milhões para erguer uma cerca de 365 metros de extensão, dos quais mais de 90 m estarão dentro do mar.

A fronteira entre Tijuana e San Diego possui algum tipo de separação há mais de 20 anos. A primeira cerca, com 3 metros de altura e feita de metal soldado, foi erguida em 1993, cobrindo os primeiros 22 km de fronteira desde o Oceano Pacífico. Em 1996, o Congresso aprovou uma lei que levou à construção de uma segunda cerca, paralela à original.

Material contra escaladas

De acordo com a correspondente da BBC Mundo, o muro que será erguido agora, metálico e ondulante, foi projetado para resistir ao impacto das águas, que danificaram as estruturas anteriores. Quando for concluída, em março, a cerca terá 2,5 metros de altura a mais que sua anterior.

Além disso, ela será reforçada com um material que dificultará a escalada dos imigrantes sem documentos. Apesar dos esforços, o número de prisões por tentativas de ingressar ilegalmente nos EUA está em franca diminuição. No ano passado foi registrado apenas um décimo das 630 mil detenções feitas, por exemplo, em 1986, de acordo com dados oficiais.

    Leia tudo sobre: euaméxicoimigraçãomurotijuanasan diegosurf fence

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG