Mulher adota filha biológica mais de 40 anos após sequestro por babá

Ronique 'Pepper' Smith, atualmente com 41 anos, foi levada de casa aos três meses de idade pela babá, Shirley Berthelot

BBC Brasil |

selo

Uma americana adotou a própria filha biológica em um tribunal de Los Angeles mais de 40 anos depois de ela ter sido sequestrada pela babá.

KTLA News
As americanas Jolene Coleman e a filha, Ronique 'Pepper' Smith, abraçam-se após mais de 40 anos de separação
Ronique 'Pepper' Smith, atualmente com 41 anos, foi levada de casa aos três meses de idade pela babá, Shirley Berthelot. A mãe dela, Jolene Coleman, diz ter passado a vida tentando achar a menina, sem sucesso. O reencontro só foi possível, tanto tempo depois, por causa de uma série de coincidências.

Adoção

Após sequestrar Ronique ainda bebê, Shirley teria dado a menina para Barbara Christie, uma amiga, que a adotou legalmente juntamente com o marido, Robert, e lhe deu o nome de Rhonda Patricia Christie. Nesse momento, os direitos legais de Jolene em relação à filha terminaram, apesar de ela nunca ter sido consultada sobre a questão, segundo suas declarações à imprensa local.

Quatro anos depois, Shirley sequestrou a menina novamente. Agora sob o nome de 'Pepper Smith', a menina passou a ter uma vida nômade, morando em trailers e hotéis de beira de estrada e indo muito pouco à escola.

Em declarações a jornais locais, ela contou que se lembrava de um quarto cor de rosa e de uma mãe carinhosa e que sabia que tinha sido sequestrada, mas nunca teve uma pista sobre sua verdadeira identidade.

Shirley morreu de câncer em 1986, quando Pepper tinha 16 anos, mas teria se recusado a dar qualquer informação sobre a família da jovem.

Documentos

Durante toda sua vida, Pepper enfrentou problemas por não ter documentos. O problema se agravou quando ela teve uma filha. Segundo o Nevada Appeal News Service, tudo o que ela tinha era uma data de nascimento, 16 de setembro de 1969, e a lembrança de que seus pais se chamavam "Bobby e Bobby".

Em 2010, uma funcionária de um cartório da Califórnia deduziu que Bobby poderia ser um apelido para Barbara e encontrou uma certidão de nascimento. Pepper era "Rhonda Patricia Christie", a filha adotiva de Barbara e Bob Christie.

Pepper foi atrás da família e encontrou a mãe adotiva lutando contra um câncer terminal, mas muito feliz em reencontrá-la.

Desenrolar

A história ganhou destaque no noticiário americano e teria sido assistida na TV por Jolene, a mãe biológica, que reconheceu a filha. Ela contactou a advogada de Pepper, Gloria Allred, e passou por um exame de DNA que confirmou a relação entre as duas.

Pepper ganhou então mais uma mãe, que decidiu adotá-la legalmente em um tribunal de Los Angeles. "Pela primeira vez na minha vida, sinto-me uma pessoa inteira, não mais fragmentada. Sinto que posso ter orgulho, falar meu nome com confiança, sabendo que sou eu", disse Ronique 'Pepper' Smith. "É um milagre que eu nunca achei que aconteceria. E sou muito agradecida", disse Jolene.

    Leia tudo sobre: adoçãoeuasequestrobabá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG