Vídeo que mostra Yue Yue, de apenas 2 anos, sendo atropelada duas vezes em rua de Fosham causou indignação

selo

Indiferença com menina atropelada causa revolta na China
AP
Indiferença com menina atropelada causa revolta na China
Uma menina que foi atropelada por dois veículos na China e ignorada por 18 pessoas que passaram a seu lado morreu em decorrência dos ferimentos.

O hospital onde Yue Yue, de dois anos, estava internada disse que ela sofreu falência múltipla dos órgãos. Imagens divulgadas pela TV chinesa mostraram a menina sangrando, desmaiada, em uma rua movimentada da cidade de Foshan e causaram choque e revolta no país.

As imagens, captadas por uma câmera de segurança no local, registraram o momento em que a menina caminhava pelo mercado, antes de ser atingida por um furgão.

O furgão para por um momento, mas continua sem dar assistência à menina, que fica caída no chão. Ao longo de sete minutos, ela é ignorada por 18 pessoas que passam pelo local e ainda é atropelada por um segundo veículo. A menina foi finalmente resgatada por uma catadora de lixo e levada a um hospital, gravemente ferida.

Sua situação chegou a se estabilizar, mas os médicos já haviam diagnosticado morte cerebral. A polícia prendeu os motoristas dos veículos, que disseram não ter visto a menina. Os pais da menina são proprietários de uma loja no mercado. Segundo o jornal chinês China Daily, a menina teria se afastado da mãe enquanto ela ia a uma lavanderia.

Internet

O caso, que ocorreu na quinta-feira da semana passada, provocou milhões de mensagens e discussões na internet na China e ao redor do mundo. Muitas delas questionam os valores morais dos chineses. "A sociedade está seriamente doente. Nem mesmo gatos e cachorros deveriam ser tratados dessa maneira", diz um comentário no microblog chinês Weibo.

Outros comentários sugeriram que os transeuntes temeriam ser responsabilizados pelo ocorrido se ajudassem a menina. Eles citam o caso de um homem que tentou ajudar uma idosa que sofreu um tombo e acabou sendo processado, aparentemente porque sua intervenção teria violado as regras do governo sobre como lidar com vítimas de acidentes.

Mudança de lei

Depois do caso de Yue Yue, o governo da província de Guangdong, sul da China, está discutindo a introdução de uma lei que tentaria forçar a solidariedade ao obrigar as pessoas a ajudar outras em situação de sofrimento.

Segundo o correspondente da BBC em Pequim, Michael Bristow, a discussão da medida mostra o nível de indignação que o caso gerou na China, mas pesquisas de opinião online sugerem que a maioria é contra a introdução da lei.

As organizações em Guangdong também estão buscando outras formas de estimular as pessoas a agir com mais compaixão em situações de emergência. O comitê jurídico e de governo da província está usando sua página de microblogging para reunir opiniões sobre como "guiar atos de coragem para causas justas" e promover a "moral social".

Assista ao vídeo:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.