Moldávia apreende 1,8 kg de urânio contrabandeado

Segundo investigadora, material poderia ser usado na indústria nuclear civil e para fins militares, inclusive na produção de armas

BBC Brasil |

selo

O Ministério do Interior da Moldávia, no leste europeu, anunciou nesta terça-feira que a polícia do país apreendeu 1,8 kg de urânio-238 na capital do país, Chisinau. Segundo o porta-voz do Ministério, a substância teria sido contrabandeada para o país e os suspeitos pelo crime, que foram presos, pretendiam vender tudo por 9 milhões de euros (cerca de R$ 20 milhões).

O urânio poderia ser usado "na indústria nuclear civil e para fins militares, na produção de armas de destruição em massa", disse a investigadora Oleg Putintica no canal de televisão da Moldávia ProTV Chisinau.

A fonte e o destino do material ainda são desconhecidos, disse a investigadora. A polícia informou que três pessoas foram presas pelo crime e outros quatro suspeitos ainda estão sendo procurados.

'Bomba suja'

Radioativo, o urânio-238 é o mais comum dos isótopos (variedades de um mesmo elemento químico, cada um com diferente número de nêutrons) de urânio. Um especialista nuclear ouvido pela BBC disse que 2 kg apreendidos não são úteis na produção de armas nucleares.

O cientista disse que essa é uma quantidade pequena e que o material não seria útil nem na fabricação de uma "bomba suja" - um artefato explosivo convencional contendo com material radioativo.

Segundo o especialista, o material que costuma ser usado na produção de energia ou armas nucleares é o urânio-235. Ainda assim, a aparente existência de uma rede de contrabando de urânio desperta preocupações, disse.

    Leia tudo sobre: moldáviaurâniosegurança nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG