Metrô de Moscou foi palco de seis atentados nos últimos 12 anos

O ataque desta segunda-feira no metrô de Moscou foi o sexto do tipo nos últimos 12 anos. Os cinco ataques anteriores mataram 57 pessoas e deixaram centenas de feridos.

BBC Brasil |

O último ataque foi em fevereiro de 2004, quando uma bomba em uma das linhas mais usadas, a Zamoskvoretskaya ("rio Moscou"), matou 40 pessoas e feriu mais de cem. A linha liga os dois principais aeroportos da capital.

Aquele atentado foi atribuído pelo então presidente Vladimir Putin a separatistas chechenos comandados pelo líder rebelde Aslan Maskhadov.

AP
Passageiros tentam descer escadas durante horário de pico na estação de metrô Mira

Passageiros tentam descer escadas no horário de pico no metrô Mira

Além daquele incidente, o metrô foi alvo de ataques também em outras ocasiões.

Em junho de 1996 uma bomba na linha Serpukhovskaya matou quatro e feriu 12. Em janeiro de 1998, uma bomba feriu três pessoas na estação de Tretyakovskaya. Em agosto de 2000, 13 pessoas morreram e 118 ficaram feridas por causa de uma bomba no túnel de pedestres que leva à estação de Tverskaya. Em fevereiro de 2001, uma explosão feriu 20 na estação de Belorusskaya. O metrô da capital russa é um dos sistemas de transporte mais usados do mundo, com cerca de 5,5 milhões de passageiros por dia.

Os atentados desta segunda-feira foram realizados em um dos momentos mais movimentados do dia, quando a rede de transportes estava lotada de pessoas indo para o trabalho.

Para evitar o trânsito excessivamente congestionado das ruas de Moscou, milhões de pessoas, de todas as classes, preferem usar o metrô. Além da pontualidade, a rede de metrô é bem abastecida com milhares de trens, com uma eficiência de dar inveja a outras cidades, como Londres.

As explosões paralisaram as ruas em várias partes centrais de Moscou, dificultando o trabalho de ambulâncias e carros de polícia e de bombeiros.

Abrigo na Segunda Guerra

O metrô de Moscou foi planejado na era soviética. Ainda hoje ele é essencial para a cidade, por oferecer tarifas baratas e por cobrir diversas partes da cidade. Mesmo o grande aumento no número de carros na capital russa nos últimos anos não diminuiu a quantidade de passageiros do sistema.

O metrô também é conhecido mundialmente pela estética realista-socialista que decora algumas estações.

Poucos anos depois que o sistema foi inaugurado, em 1935, algumas das suas elegantes estações foram usadas como abrigos contra bombas alemãs na Segunda Guerra Mundial. Algumas das estações estão entre as mais profundas do mundo.

Muitos russos associam terrorismo com o fim da União Soviética, depois que a Rússia entrou em conflitos como o da Chechênia.

No entanto, o primeiro atentado no metrô aconteceu ainda na era de Leonid Brezhnev, no dia de janeiro de 1977, quando uma bomba colocada por um separatista armênio matou sete pessoas e feriu 37.

Leia mais sobre Rússia

    Leia tudo sobre: rússia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG