Mercosul quer a adesão da Bolívia e Equador, diz Patriota

Países são atualmente Estados associados do bloco, ao lado de Chile, Colômbia, Peru e Venezuela, que depende de aval paraguaio para ser membro permanente

BBC Brasil |

selo

O ministro de Relações Exteriores Antonio Patriota disse nesta terça-feira que o Mercosul pretende convidar a Bolívia e o Equador a ingressar no bloco. Segundo Patriota, que participa em Assunção da  41ª primeira cúpula do grupo, a ideia foi discutida na manhã desta terça-feira em uma reunião com os chanceleres de Paraguai, Argentina e Uruguai. 

“Existe um sentimento de que talvez tenha chegado o momento para uma aproximação maior com potenciais candidatos a membros plenos do Mercosul, e dois países surgiram no radar: Bolívia e Equador”, disse o ministro, em coletiva de imprensa.

AFP
Chanceler paraguaio, Jorge Lara Castro, e o colega Antonio Patriota assinam acordos bilaterais em reunião do Mercosul
Atualmente, Bolívia e Equador são Estados associados do Mercosul, ao lado de Chile, Colômbia, Peru e Venezuela - que depende apenas de um aval do Congresso paraguaio para ingressar no bloco.

Presente à coletiva, o subsecretário-geral da América do Sul, Central e Caribe, embaixador Antonio Simões, disse que uma delegação do Mercosul deve visitar em breve a Bolívia e o Equador para discutir a viabilidade do ingresso de ambos. Ele afirmou que os dois países manifestaram interesse em pertencer ao bloco e que possuem economias complementares à do grupo.

Encontro bilateral

A presidenta Dilma Rousseff desembarca na noite desta terça-feira em Assunção. Dilma aproveitará a cúpula do Mercosul no Paraguai para fazer uma reunião bilateral com o governo do país. No encontro, deve assinar atos de cooperação nas áreas de segurança, pesca e de televisão digital.

Será o primeiro encontro de Dilma com o presidente paraguaio, Fernando Lugo, após o Brasil aprovar o aumento nos valores pagos ao Paraguai pelo uso da energia da usina hidrelétrica de Itaipu. Após se encontrar com Lugo, Dilma deve se reunir com outros chefes de Estado do Mercosul.

O grupo, no entanto, estará desfalcado: a presidente argentina, Cristina Kirchner , cancelou sua visita ao Paraguai. Ela sofreu uma queda na semana passada e disse ter sido aconselhada a evitar a viagem

    Leia tudo sobre: mercosulparaguaipatriotaequadorbolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG