Menina é acusada de matar homem suspeito de pedofilia

Robert Daley, de 45 anos, foi morto com cinco facadas no dia em que a promotoria decidiu não levar adiante as acusações de abuso sexual contra ele

BBC Brasil |

selo

Depois de descobrir que Daley não seria julgado pelos crimes, uma de suas supostas vítimas, a menina de 14 anos e um rapaz da mesma idade teriam ido até o apartamento dele, em Stockwell, no sul de Londres. Daley foi encontrado morto pouco depois.

Tanto a jovem como o rapaz, ambos hoje com 15 anos, negam a acusação de assassinato. Eles não podem ser identificados por causa da idade. 'Pedofilia' Daley havia sido acusado de abuso sexual pela menina de 14 anos, sua irmã, de 16, e uma outra mulher.

Mas a menina mais jovem teria decidido não prestar depoimento e a promotoria retirou as acusações contra Daley por falta de provas. Pouco tempo depois de saber que não seria julgado, Daley telefonou para a menina de 16 anos.

Ela mandou uma mensagem de texto como resposta: "Pare de me ligar e de mandar mensagens. Eu não quero nada com você. Você é um pervertido e eu nunca vou te perdoar".

Em seguida, ela teria ligado para a irmã e para o outro rapaz de 14 anos. Contradições Depois de ir até o apartamento em Stockwell e de ser vista fugindo do local junto com o rapaz, a menina de 14 anos teria ligado para uma amiga e falado sobre Daley.

"Ele tentou tocar em mim de novo e eu o esfaqueei", ela disse, segundo a promotoria. Mas a acusação defende que ambos os jovens foram responsáveis pela morte de Daley.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG