Manifestantes enfrentam a polícia e tomam TV em Bangcoc

Milhares de manifestantes da oposição invadiram um prédio de um canal de TV que tinha sido fechado por ordem do governo na quinta-feira.

BBC Brasil |

A polícia usou bombas de gás lacrimogêneo contra a multidão , mas os manifestantes - conhecidos como "camisas-vermelhas" - conseguiram furar o cordão de isolamento montado pelas autoridades e ocupar o prédio do Canal do Povo, da oposição, que foi fechado depois que o governo decretou estado de emergência na cidade.


Barreira formada por policiais não foi suficiente para conter manifestantes / AFP

Segundo a correspondente da BBC em Bangcoc Rachel Harvey, o clima agora está calmo e não havia mais policiais e soldados no local.

Esta foi a primeira vez desde o início dos recentes protestos da oposição, um mês atrás, que a polícia usou de força contra os manifestantes.

Os camisas-vermelhas - em sua maioria simpatizantes do ex-premiê deposto Thaksin Shinawatra - exigem que o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva renuncie ao cargo e convoque eleições, alegando que seu governo é ilegítimo.


Policiais usam jatos de água para dispersar manifestantes / AFP

Campanha

Os manifestantes começaram os protestos no último dia 12 de março, estabelecendo dois acampamentos em Bangcoc - um em frente à sede do governo e outro no distrito comercial, obrigando algumas lojas a fecharem.

Os manifestantes acusam o atual premiê de ser uma marionete nas mãos dos militares e exigem sua renúncia.

Eles se reuniram em frente à sede do canal depois que o governo ordenou seu fechamento , acusando-o de incitar violência.

O canal é visto como crucial na coordenação dos esforços da oposição, que prometeu colocá-lo de volta no ar.

Segundo a correspondente da BBC, é possível ver rastros do confronto no lago em frente ao complexo televisivo - como pedaços de arame farpado e capacetes e outros equipamentos policiais.

De acordo com Rachel Harvey, o uso das bombas de gás lacrimogêneo pela polícia, provavelmente provocou a invasão.

Política

Thaksin Shinawatra foi deposto por um golpe militar em 2006 e condenado à revelia a dois anos de prisão, em um processo por conflito de interesses.

Depois do golpe contra Thaksin, outros dois governos eleitos e formados por seus aliados políticos foram derrubados.

Em dezembro de 2008, depois de um grande protesto liderado pelo partido pró-Thaksin, a Corte Constitucional determinou que o partido era culpado de fraude eleitoral e proibiu seus líderes de assumir cargos políticos por cinco anos.

Os camisas-vermelhas integram a Frente Unida pela Democracia Contra a Ditadura (UDD) e são compostos principalmente por camponeses que foram beneficiados pelas políticas populistas de Thaksin e intelectuais que querem menos influência dos militares sobre o governo.

Leia também:

Leia mais sobre Tailândia

    Leia tudo sobre: tailândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG