Mancha de petróleo atinge reserva ambiental nos EUA

A mancha de petróleo causada pelo vazamento de uma plataforma no Golfo do México atingiu, nesta quinta-feira, uma reserva ambiental localizada em uma ilha na costa do Estado americano da Louisiana. Um porta-voz da BP (British Petroleum, proprietária da plataforma) disse que equipes já foram enviadas à ilha para tentar proteger a natureza do local.

BBC Brasil |

selo

A mancha de petróleo causada pelo vazamento de uma plataforma no Golfo do México atingiu, nesta quinta-feira, uma reserva ambiental localizada em uma ilha na costa do Estado americano da Louisiana. Um porta-voz da BP (British Petroleum, proprietária da plataforma) disse que equipes já foram enviadas à ilha para tentar proteger a natureza do local. "Esta foi a primeira confirmação de impacto na costa. Estamos fazendo todo o possível para evitar um impacto maior", disse o porta-voz John Curry. A ilha atingida, de Freemason, integra o arquipélago de Chandeleur, localizado cerca de 50 km da costa americana e faz parte da Breton National Wildlife Refuge, o segundo refúgio ambiental mais antigo dos EUA, que abriga várias espécies ameaçadas. Funil Ainda nesta quinta-feira, um gigantesco funil metálico chegou ao local do vazamento. A meta é que a peça de 90 toneladas ajude a confinar o petróleo. Ela será levada por robôs-submarinos até a estrutura, localizada a cerca de 1,5 km de profundidade. Espera-se que a operação para colocar o funil no local certo leve dois dias. Se der certo, a BP espera começar a conter o petróleo no início da semana que vem. O presidente da BP, Tony Hayward, disse que as operações de resgate estão ocorrendo em três frentes, em águas submarinas, na superfície do mar e na costa. Ele afirmou ainda que cem navios estão envolvidos nos esforços para proteger a costa americana e cerca de 4 mil voluntários estão recebendo US$ 10 por hora para proteger as praias dos país. Meio-ambiente A BP disse que conseguiu conter o menor dos três vazamentos. O petróleo continua a vazar a uma média de 800 mil litros por dia. Condições meteorológicas melhores permitiram que equipes realizem queimadas controladas nas áreas onde o petróleo está mais concentrado. O órgão que coordena os esforços negou que queimar o petróleo possa causar danos à fauna. A BP disse que, se o vazamento piorar, até 9,5 milhões de litros por dia podem ser lançados no Golfo do México.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG