Mãe de 90 cm tem dificuldades para cuidar do filho

Menor mãe da Grã-Bretanha relata dificuldades para cuidar de seu filho que, aos 14 meses, é quase tão alto quanto ela

BBC Brasil |

Amanda Moore, de 25 anos, de Hinckley em Leicestershire, arriscou a vida para dar à luz Aidan. Amanda tem uma rara doença óssea que prejudicou seu crescimento. Ela mede apenas 90 centímetros e não consegue ficar em pé.

BBC Brasil
Amanda Moore, de 90 centímetros, e seu filho, Aidan, de 70 centímetros
Com 70 centímetros, Aidan já é mais alto do que sua mãe quando ela está sentada. “Agora que ele está andando, é um trabalhão para alguém do meu tamanho”, disse Amanda à agência britânica SWNS.

A mãe disse acreditar que Aidan pode ficar tão alto quanto seu pai, Steven Fyfe, 20 anos, que mede 1,8 metro. “Quando sento no chão para brincar com ele, ele já fica mais alto do que eu e ele tem só 14 meses”, disse. “Ele está ficando grande e forte e logo vamos ter que dizer para ele que ele tem que ter cuidado com a mãe”, afirma.

“Tem sido difícil porque ele tem corrido a minha volta desde que começou a engatinhar. A maioria dos meninos é mais alta do que suas mães, mas não pouco depois de um ano", afirmou Amanda.

Amanda Moore sofre de osteogênese imperfeita, doença caracterizada por ossos quebradiços. Ela nasceu com 14 ossos quebrados e médicos a haviam alertado que uma gravidez poderia ser fatal.

Mas Aidan nasceu em fevereiro de 2009 pesando cerca de 2,5 quilos e não herdou a doença da mãe.
Ele hoje pesa 9,9 quilos, quase metade do peso de sua mãe (25,4 quilos). “Logo Aidan vai ser maior do que eu e estamos pensando em como vou conseguir movê-lo pela casa em minha cadeira enquanto Steve está no trabalho”, diz Amanda.

O casal afirma que não descarta ter outro filho.  “Foi difícil, mas Aidan está indo tão bem”, disse o pai.
“Ele é um menino grande e logo será muito maior do que a mãe dele. Quando Amanda engravidou os médicos nos disseram que ela ou o bebê poderiam morrer, ou até os dois. Mas os dois estão saudáveis e somos uma família de muita sorte", disse o pai.

    Leia tudo sobre: Grã-BretanhaMaternidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG