Lula diz que todos têm pressa para resolver crise entre Colômbia e Venezuela

Presidente diz que há sinais importantes de que os dois governos querem estabelecer diálogo

BBC Brasil |

selo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que todos os países da região têm pressa em solucionar a crise entre a Colômbia e a Venezuela e que há "boa vontade" de ambos os governos para normalizar as relações diplomáticas. "Eu acho que todo mundo tem pressa, porque as pessoas precisam comer todo o dia, as pessoas precisam trabalhar todo o dia, precisam se desenvolver todo o dia e, como tem um novo governo, tem uma equipe econômica, as pessoas pensam diferente", afirmou Lula em Bogotá, pouco antes de assistir à posse do novo presidente Juan Manuel Santos, na praça de Bolívar, centro da capital.

Lula disse que "há sinais importantes" de que o governo de Hugo Chávez e o novo governo de Juan Manuel Santos querem restabelecer o diálogo. "Todo mundo quer conversar até porque todo mundo perdeu com a confusão, todo mundo perdeu com o conflito, todo mundo perdeu com o atrito, de vez em quando as pessoas ficam cansadas de brigar", afirmou.

Mediador O presidente brasileiro, que assumiu o papel de mediador da crise na visita a Caracas na sexta-feira, disse que Chávez está disposto a fazer "todo o esforço" para restabelecer as relações políticas com a Colômbia. "Inclusive está disposto a encontrar com o presidente Santos", afirmou.

Lula disse que a paz entre os dois países, que dividem a extensa fronteira de mais de 2 mil quilômetros, além da interdependência energética e econômica, é "o que a América do Sul precisa". A distensão do lado venezuelano é visível. Apesar da ruptura das relações, o chanceler da Venezuela Nicolás Maduro assistirá à posse de Santos.

Na chegada à Bogotá, Maduro disse à BBC Brasil que Chávez envia "bons desejos (a Santos) para dar passos certeiros no processo de recuperação da confiança". Ao chegar em Bogotá, Lula havia dito acreditar "cem por cento" na possibilidade de que os governos da Venezuela e Colômbia reatem relações diplomáticas depois da posse de Santos.

"Vocês estão lembrados do Irã, que eu falei que acreditava em 99% (de chance de ser fechado o acordo para a o enriquecimento de urânio fora de Teherã). Agora acredito cem por cento (na reaproximação entre Caracas e Bogotá)", afirmou o presidente, pouco antes de participar do jantar de despedida do presidente colombiano Álvaro Uribe. Uma fonte da chancelaria venezuelana disse à BBC Brasil que Maduro se reunirá no domingo com a nova chanceler colombiana Maria Angela Holguín.

Neste sábado, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, fez uma primeira reunião com a chanceler colombiana. Além da conversa sobre a crise binacional, eles acordaram a visita de Santos à Brasília no dia 1º de setembro, a primeira bilateral entre os dois mandatários. Além do presidente Lula, outras 17 delegações assistem à posse de Santos, ex-ministro de Defesa e herdeiro político de Uribe, que governou durante oito anos.

    Leia tudo sobre: Juan Manuel SantosColômbiaposseLula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG