Lula busca apoio no Catar para possível acordo com Irã

Depois de encontro com Medvedev na Rússia, presidente faz reunião com emir Hamad bin Khalifa Al Thani e depois segue para Teerã

BBC Brasil |

selo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou na noite desta sexta-feira ao Catar para um encontro com o emir Hamad bin Khalifa Al Thani para discutir a questão iraniana, outros temas regionais e investimentos conjuntos.

Lula viaja ao Irã no sábado para apresentar ao colega iraniano Mahmoud Ahmadinejad uma nova proposta conjunta do Brasil e da Turquia para um possível acordo com Teerã sobre seu programa nuclear.

Reuters
Presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, abraça o presidente Lula durante encontro em Moscou
A base deste acordo, no entanto, continuaria sendo a proposta da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, um órgão da ONU), do final do ano passado, que prevê o enriquecimento do urânio iraniano em outro país em níveis que possibilitariam sua utilização para uso civil, não militar.

Segundo o embaixador brasileiro na capital do Catar, Doha, Anuar Nahes, o Brasil apresentará uma nova proposta em torno do enriquecimento de urânio para tentar, assim, destravar as negociações com o Irã. "A Turquia mantém boas relações com os iranianos, além de compartilharem uma fronteira física, o que facilitaria o transporte do urânio iraniano", disse ele à BBC Brasil.

Depois de três resoluções contra o Irã, aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU, os Estados Unidos e outros países esperam a aprovação de uma quarta rodada de sanções. Eles acusam o Irã de secretamente planejar a construção armas nucleares, o que é negado por Teerã.

Esperança

De acordo com a imprensa do Catar, o Brasil simboliza uma nova esperança, junto com a Turquia, de conseguir convencer o governo iraniano a aceitar uma proposta sobre seu controverso programa nuclear.

"Lula, com seu carisma e liderança internacional, pode fazer o que americanos e europeus ainda não conseguiram, convencer o Irã a negociar", disse o jornal Al Watan. Outro jornal, o Al Sharq, fala em um "Brasil com novo status internacional, com grande respeitabilidade no Oriente Médio".

O Catar, segundo o embaixador Nahes, expressa simpatia e apoio à mediação conjunta brasileira e turca. "O Catar tem boas relações com o Irã e com o mundo árabe, e um apoio deste país dá ainda maior peso à proposta de Brasil e Turquia", disse.

De acordo com Nahes, o Catar vem tomando um protagonismo diplomático no Oriente Médio que sempre foi de Egito e Arábia Saudita, dois países que são a favor de novas sanções contra o Irã. "Há uma nova visão do Catar de que novos atores precisam ser inseridos para intermediar uma solução".

Segundo ele, o país árabe tem um interesse natural em ver a crise iraniana resolvida, pois teme que uma escalada de tensões entre o Irã e o Ocidente leve a um conflito na região. Além de encontros oficiais com autoridades do país, Lula participará também de um seminário de empresários brasileiros e árabes para possíveis investimentos mútuos.

    Leia tudo sobre: lulabrasilirãrússiacatarquestão nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG