Juiz autoriza preso mordido no pênis 'por rato' a processar governo nos EUA

Homem diz ter sido atacado por roedor enquanto dormia em uma prisão perto da cidade de Nova York

BBC Brasil |

selo

Um juiz do Estado de Nova York, no nordeste dos Estados Unidos, determinou que um homem que diz ter sido mordido no pênis por um roedor durante um período na cadeia poderá processar o governo local.

Peter Solomon, de 50 anos, alega que os carcereiros do Condado de Nassau, perto da cidade de Nova Iorque, sabiam que a ala onde ele foi mantido estava infestada de roedores. Em documentos relativos ao processo, obtidos pela BBC, o preso alega que um rato ou "um roedor similar" apareceu de um buraco em seu colchão durante a noite e o mordeu no pênis e na mão.

Ele sustenta que foi vítima de negligência e que teve que tomar uma série de vacinas antirrábicas após ter sido mordido. Além disso, Solomon acusa os guardas da cadeia de tê-lo maltratado porque ele é negro.

Mordida

Representantes do Condado de Nassau (alvo da ação de Solomon) pediram o arquivamento do processo sob o argumento de que não há evidências de que o homem foi ferido seriamente.

Eles também alegam que não sabiam que havia risco de um incidente e afirmam que a infestação de ratos na cadeia não existe. Eles disseram ainda que os ferimentos do detento não precisaram de pontos e que eram meramente psicológicos.

Em seu parecer sobre o caso, o juiz Arthur Spatt disse que o processo movido pelo detento pode prosseguir, mas registrou que "os dois lados discutem se o roedor era um rato ou um camundongo, se Solomon foi mordido ou arranhado, e a natureza e extensão de seus ferimentos".

Solomon, um veterano da Guerra do Vietnã, foi preso em fevereiro de 2007, acusado de ter ameaçado sua esposa. O homem, que diz sofrer de estresse pós-traumático, foi transferido para uma unidade de observação médica.

    Leia tudo sobre: euajustiça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG