Japão registra recorde de furtos feitos por aposentados em lojas

Segundo autoridade policial, aposentados não furtam somente por questão financeira, mas por 'sentimento de isolamento'

BBC Brasil |

selo

Um relatório anual divulgado pela polícia no Japão revelou que o número de furtos em lojas atribuídos a aposentados atingiu um nível recorde no país no ano passado. Segundo o documento da Agência Nacional de Polícia, 26,1% dos acusados de furtos em lojas detidos em 2010 tinham mais de 65 anos.

AP
Idosa japonesa caminha em rua de Tóquio (22/01/2011)
Um total de 27.362 aposentados foram presos em 2010 sob acusação de furto em lojas, um número quase igual ao de adolescentes. De acordo com a polícia, esse recorde representa uma tendência constante nos últimos anos.

Quando a polícia iniciou esse tipo de registro em 1986, o número de aposentados presos foi de 4.918. Desde então, esse número aumentou, chegando a 10 mil em 1999 e 20 mil em 2004.

Alimentos e roupas

Em 2010 a maioria dos aposentados furtou alimentos ou roupas em vez de objetos mais caros, segundo a agência.

Uma autoridade da polícia informou ao jornal Mainichi que os aposentados não furtam apenas por uma questão financeira, mas "também por causa de um sentimento de isolamento, peculiar à idade".

A sociedade japonesa está passando por um rápido processo de envelhecimento e sua economia continua enfrentando dificuldades. Mais de 20% da população do país tem mais de 65 anos, um número que deve aumentar para cerca de 40% em 2050.

Nas últimas décadas as residências japonesas mudaram. Tradicionalmente três gerações de uma mesma família moravam em uma única casa, mas essa estrutura mudou.

Muitos jovens se mudaram para as cidades maiores para encontrar emprego, e os idosos acabaram morando sozinhos. Os aposentados que querem trabalhar têm dificuldade em encontrar um emprego por causa da crise econômica.

    Leia tudo sobre: japãoidososfurtos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG