Operação de emergência vai fazer testes em mais de 1.400 locais, em meio à ansiedade dos pais sobre vazamento em usina nuclear

selo

Funcionários do governo medem radiação no solo de escola de Fukushima
AP
Funcionários do governo medem radiação no solo de escola de Fukushima

Autoridades da província de Fukushima, no nordeste do Japão, iniciaram nesta terça-feira um programa de emergência para medir os níveis de radiação em playgrounds de escolas. Mais de 1.400 escolas e creches serão testadas durante dois dias, em meio à ansiedade dos pais sobre o vazamento de radiação da usina nuclear Fukushima Daiichi.

A usina foi seriamente danificada pelo tremor de magnitude 9 e pelo tsunami que atingiram a região no dia 11 de março. Segundo as autoridades locais, não há riscos para a saúde das crianças se elas forem mantidas fora da área de exclusão de 30 quilômetros no entorno da usina.

Água despejada

Técnicos da usina começaram nesta terça-feira a bombear ao mar água com baixos níveis de radioatividade.

A medida tem como objetivo liberar espaço de estocagem para a água com alto nível de contaminação, que vaza do prédio do reator número 2 da usina.

A remoção de água contaminada dos prédios que abrigam os reatores diversos é necessária para reduzir riscos para trabalhadores no local. Cerca de 11.500 toneladas de água devem ser jogadas no mar.

Segundo o chefe de Gabinete do governo japonês, Yukio Edano, o despejo da água no mar não representará um sério risco à saúde. Ele afirma que o material radioativo deverá se dissipar rapidamente. O governo japonês já confirmou até agora 12.157 mortes em consequência do desastre do mês passado. Outras 15.500 pessoas ainda estão desaparecidas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.