Irã anuncia produção própria de urânio concentrado

Estados Unidos e seus aliados acusam o Irã de tentar produzir armas nucleares

BBC Brasil |

O Irã anunciou neste domingo ter enviado seu primeiro lote de urânio produzido no país a uma usina que pode deixá-lo pronto para enriquecimento.

O comunicado do chefe do programa nuclear iraniano, Ali Akbar Salehi, vem um dia antes das discussões entre o Irã e um grupo de grandes potências mundiais sobre o programa nuclear do país.

O urânio enriquecido pode ser usado como combustível em reatores para a geração de energia ou utilizado para a fabricação de armamentos nucleares.

Os Estados Unidos e seus aliados acusam o Irã de tentar produzir armas nucleares, o que o país nega. O governo iraniano alega que seu programa nuclear tem fins pacíficos, para uso civil.

“O Ocidente contava com a possibilidade de estarmos em dificuldades com a matéria-prima, mas hoje tivemos a primeira leva de concentrado de urânio da mina de Gachin enviada para a usina de Isfahan”, disse Salehi na TV estatal.

Acreditava-se que o Irã tinha pouco estoque de urânio concentrado, originalmente importado da África do Sul nos anos 1970.

Negociações
A declaração iraniana ocorre antes das negociações marcadas para esta segunda-feira entre o Irã e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, Rússia, China, França e Grã-Bretanha), além da Alemanha.

A secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton, pediu ao Irã que entre nas negociações de boa fé e com “uma análise muito mais sóbria do que significa o isolamento”, após várias rodadas sucessivas de sanções da ONU.

As sanções foram aplicadas após o Irã não cumprir com as resoluções do Conselho de Segurança ordenando que parasse com o enriquecimento de urânio.

O Conselho de Segurança disse que até que as intenções pacíficas do Irã possam ser comprovadas, o país deveria interromper o enriquecimento e outras atividades nucleares.

O Irã diz que, como signatário do Tratado de Não Proliferação Nuclear, tem o direito de enriquecer urânio para a produção de energia de uso civil.

    Leia tudo sobre: irãurânioarma nuclearEUA

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG