Investigação sobre carro-bomba em NY teve avanço substancial, diz secretário

O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, disse nesta segunda-feira que a polícia já obteve um "progresso substancial" nas investigações sobre o atentado frustrado com carro-bomba em Nova York. Holder disse ter confiança de que os responsáveis pela tentativa "serão presos e levados à Justiça".

BBC Brasil |

"Nós temos algumas boas indicações", disse o secretário, se referindo à análise de imagens de circuito interno de TV. "Estamos seguindo também várias outras indicações." Ele também se mostrou cauteloso ao analisar a possível ligação entre o ataque e grupos extremistas internacionais, como um grupo paquistanês com ligações com o Talebã - que reivindicou a autoria da tentativa. "Sei que esse grupo no passado reivindicou responsabilidade por incidentes aos quais, no final das contas, não estavam ligados", disse Holder. Ataque terrorista O governo americano está tratando a tentativa de atentado com carro-bomba - descoberto no centro de Nova York no sábado - como um ataque terrorista, disse nesta segunda-feira o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs. "Acho que qualquer um que tenha o tipo de material que havia na Times Square tinha a intenção de causar terror", disse Gibbs. "E quem quer que seja que fez isso seria considerado um terrorista", completou. Na noite de domingo, a polícia interrogou o dono do carro-bomba, um Nissan 1993, mas afirmou não considerá-lo um suspeito, embora não tenha dito o motivo. O chefe da polícia de Nova York, Ray Kelly, disse que um "homem branco de meia-idade" filmado por câmeras de circuito interno de TV, está sendo tratado como possível suspeito. Segundo Kelly, o homem foi visto tirando a camisa perto do local e a colocando dentro de uma bolsa. Detetives investigando o caso disseram que não há provas de qualquer ligação da milícia Talebã ou outros grupos militantes islâmicos com o possível atentado. Mais cedo, o grupo paquistanês ligado ao Talebã pôs na internet um vídeo assumindo a autoria do atentado. 'Amador' O carro continha material explosivo suficiente para criar uma "grande bola de fogo", segundo a polícia de Nova York. Dentro do veículo estavam também contêineres de gás propano, gasolina, fogos de artifício e um relógio a pilha. O artefato foi descrito como "amador" pelas autoridades americanas. Imagens do relógio acoplado à bomba foram divulgadas. O veículo estava com o motor e o pisca-alerta ligados quando a polícia foi alertada por um vendedor de rua. Os policiais cercaram e evacuaram a área e conduziram uma detonação controlada do artefato. Vários edifícios comerciais foram esvaziados e as linhas de metrô foram interrompidas. A caminhonete foi levada para um laboratório da perícia no distrito de Queen, nos arredores de Nova York, e a Times Square foi reaberta. O local é um dos mais populares entre os turistas que visitam Nova York e estava lotado na hora do incidente.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG