Investigação indica identificação errada em 6,6 mil túmulos nos EUA

Estimativa inicial era que 211 túmulos apresentavam problemas no cemitério de Arlington, onde estão enterrados veteranos de guerra

BBC Brasil |

selo

Uma investigação nos Estados Unidos estima que até 6,6 mil túmulos do Cemitério Nacional de Arlington, o principal cemitério militar do país, possam conter erros de identificação. São túmulos com problemas de registro, sem identificação ou com identificação errada nos mapas do cemitério.

O escândalo sobre os túmulos com erros de identificação já havia sido revelado no mês passado, quando uma investigação das Forças Armadas estimou que 211 túmulos apresentassem problemas. Nesta quinta-feira, porém, em audiência no Congresso, a senadora democrata Claire McCaskill (Missouri) disse que o número é bem superior, e pode chegar a 6,6 mil túmulos.

Responsabilidade

Na audiência, o ex-superintendente do cemitério, John Metzler, disse aceitar "total responsabilidade" pelo pelos erros e pediu "sinceras desculpas" aos familiares das pessoas enterradas em Arlington.

© AP
Lápides são vistas no cemitério de Arlington, onde estão enterradas cerca de 330 mil pessoas, entre elas muitos veteranos de guerra

No cemitério de Arlington, localizado nos arredores de Washington, estão enterradas cerca de 330 mil pessoas, entre elas muitos veteranos da Segunda Guerra Mundial e das guerras na Coreia, no Vietnã, no Iraque e no Afeganistão.

Arlington também abriga o túmulo do presidente John F. Kennedy. Mais de 30 enterros são realizados por dia no cemitério, a maioria em solenidades militares.

Falta de recursos

O ex-superintendente do cemitério depôs no Senado ao lado de seu vice, Thurman Higginbotham. Metzler alegou falta de recursos e disse que cortes em sua equipe o obrigaram a recorrer a funcionários terceirizados e que não tinha controle sobre o funcionamento do sistema.

"Eu não estava feliz com a maneira como o sistema funcionava", disse Metzler, que foi demitido após 19 anos no comando do cemitério, depois que as denúncias de erros de identificação vieram à tona.

Investigadores afirmam que problemas de relacionamento entre os dois administradores teriam contribuído para os erros. Metzler também foi criticado por não ter relatado anteriormente os problemas de identificação.

    Leia tudo sobre: cemitérioeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG