Importante clérigo xiita iraquiano volta ao Irã

Moqtada defendeu resistência aos EUA em Najaf

BBC Brasil |

selo

O clérigo xiita radical iraquiano Moqtada al Sadr deixou o Iraque neste sábado de volta ao Irã, após uma visita de duas semanas. Sadr passou os últimos quatro anos auto-exilado na cidade iraniana de Qom. Durante sua estadia no Iraque ele falou para uma multidão de milhares de simpatizantes na cidade de Najaf e teve conversas com líderes políticos e religiosos.

"Vamos fazer o mundo todo ouvir que rejeitamos a América. Não ao ocupador", disse ele durante o evento em Najaf. "Não matamos iraquianos, nossas mãos não matam iraquianos. Atacamos apenas a ocupação com todas as formas de resistência", completou, pedindo por união entre iraquianos.

Importância

Moqtada al Sadr foi um dos nomes mais importantes da resistência iraquiana contra a presença americana no país, após a invasão de 2003 e durante os confrontos sectários que se seguiram. Ele comandava a maior milícia xiita do país, o Exército de Mehdi, desativada em 2008 após uma grande ofensiva militar em seus redutos na cidade de Basra e na região de Cidade Sadr, em Bagdá.

Al Sadr deixou o Iraque voluntariamente em 2007 após uma ordem de prisão ter sido emitida contra ele, pela captura, tortura e morte de milhares de muçulmanos sunitas. Em Qom, ele teria se devotado aos estudos religiosos com o objetivo de tornar-se um aiatolá no futuro. Sua influência no Iraque permanece grande e seu movimento recebeu oito postos ministeriais no ano passado, após Sadr anunciar apoio a reeleição do premiê Nouri Maliki.

    Leia tudo sobre: internacional

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG