Fogo atinge nove edifícios do complexo localizado em Sidney que abriga candidatos a asilo político no país

selo

Cerca de cem detentos se rebelaram e atearam fogo a um centro de detenção para candidatos a asilo político na Austrália. Um cilindro de gás explodiu e destruiu uma cozinha, a lavanderia, uma enfermaria e um centro de computação. Nove edifícios do complexo foram incendiados.

As chamas chegaram a dez metros de altura e a polícia de choque foi acionada. A rebelião começou na quarta-feira com apenas dois detentos, e foi logo seguida por outros dez. Durante à noite, a insatisfação cresceu e incorporou cerca de um quarto de todos os presos no complexo de Villawood.

Detentos são vistos no telhado do prédio incendiado em Sidney, na Austrália
AP
Detentos são vistos no telhado do prédio incendiado em Sidney, na Austrália

É o segundo episódio deste tipo no país. No mês passado, uma prisão na Ilha Christmas foi palco de outra rebelião. O repórter da BBC Nick Bryant, que está em Sydney, disse que os detentos estão insatisfeitos com a superlotação das prisões e a demora no processamento dos pedidos de asilo.

Segundo o repórter, as tentativas de rebelião, suicídio e autoflagelo estão aumentando à medida que cresce a migração para a Austrália. Nos últimos oito meses, seis pessoas morreram em custódia no país.

No ano passado, a organização de direitos humanos Anistia Internacional alertou para a deterioração da saúde mental de alguns candidatos a asilo detidos em Ilha Christmas, por conta da pressão e das incertezas sobre a sua situação pessoal e política.

Um porta-voz do Departamento de Imigração australiano disse que a rebelião "não é o tipo de comportamento condizente com alguém que deseja fazer parte da comunidade australiana".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.