Homens-bomba matam 41 pessoas durante festa no Paquistão

Santuário estava lotado de fiéis que participam de uma festa muçulmana sufi, considerada herética por muçulmanos radicais

BBC Brasil |

selo

Um atentado executado por homens-bombas deixou pelo menos 41 mortos perto de uma mesquita em Punjab, no Paquistão, neste domingo. As explosões atingiram as proximidades do santuário de Sakhi Sarwar, que estava lotado de fieis que participam de uma festa muçulmana sufi de três dias. 

O sufismo é uma corrente do Islã considerada herética e blasfema por muçulmanos mais radicais. Eles praticam uma versão mística e contemplativa do Islã.

Nenhum grupo assumiu os ataques até o momento, mas militantes do Talebã já executaram ataques contra templos sufis anteriormente.

AFP
Mulher ferida durantes os atentados no Paquistão: corrente a qual ela pertence é considerada herege por muçulmanos mais radicais

Em outubro de 2010, um suicida destruiu parcialmente outro santuário na província de Punjab, deixando seis mortos.No início deste ano, outro ataque suicida, desta vez em Lahore, matou 42 pessoas em um templo, transformando-se no pior atentado do tipo já registrado.

O ataque deste domingo aconteceu no distrito de Dera Ghazi Khan. "Até o momento, já recuperamos 41 corpos", disse o policial Zahid Hussain Shah à agência de notícias AFP. "Foram dois homens-bomba, que chegaram a pé e se explodiram ao serem parados por um policial", disse. No entanto, outro policial afirmou que um terceiro suicida foi preso antes de poder detonar o cinturão de explosivos.

Milhares de pessoas celebravam a festa anual de Urs no momento da explosão.

    Leia tudo sobre: Paquistãoatentadosufismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG