HIV entre cinquentões mais que dobra na Grã-Bretanha em sete anos

Especialistas reforçam a necessidade de usar preservativo em qualquer idade

BBC Brasil |

selo

O número de infectados pelo vírus HIV com mais de 50 anos de idade mais que dobrou na Grã-Bretanha em sete anos. Especialistas afirmam que o levantamento, divulgado em uma conferência sobre Aids em Viena, na Áustria, sublinha a necessidade de se praticar sexo seguro, independentemente da idade.

Outros estudos mostraram que as infecções por HIV têm crescido mais entre o grupo de adultos mais velhos que entre os jovens. "Estimamos que quase metade dos adultos mais velhos diagnosticados com HIV entre 2000 e 2007 estejam na faixa acima de 50 anos", disse a coordenadora da pesquisa, Ruth Smith, da agência britânica de proteção à saúde, HPA.

"Isto reforça a importância dos testes de HIV independentemente da idade. Devemos reforçar continuamente a mensagem do sexo seguro: usar a camisinha com todos os novos parceiros ou parceiros casuais é a maneira mais segura de prevenir a infecção por doenças sexualmente transmissíveis graves como o HIV."

Diagnósticos

Em 2000, os casos de HIV entre pessoas com mais de 50 anos chegaram a 299 na Inglaterra, País de Gales e Irlanda do Norte. Sete anos depois, foram 710. Em 2008, das quase 7,4 mil novas infecções por HIV registradas no país, 8% correspondiam a indivíduos com mais de 50 anos.

Lisa Power, porta-voz da organização Terrence Higgins Trust, que faz campanhas de prevenção da Aids, diz que este crescimento se dá em parte por causa da maior expectativa de vida dos portadores do HIV, graças aos avanços no tratamento. Se o fenômeno é uma boa notícia, disse ela, por outro lado também indica uma necessidade maior de cuidados com este grupo etário.

"Os portadores de HIV de idade mais avançada estão vivendo sob altos níveis de incertezas sobre seu futuro em termos de saúde e assistência social, e requerem substancialmente mais cuidados que outros grupos." Quando mais cedo a infecção por HIV for diagnosticada, mais opções de tratamento estarão disponíveis para o portador. Por isso, os especialistas se mostraram preocupados com o fato de que, entre os cinquentões, metade dos diagnósticos da presença do vírus ocorra tardiamente.

"O HIV é particularmente sério quando diagnosticado tardiamente", disse a diretora de pesquisas da HPA, Valerie Delpech. "O fato de percebermos um aumento no número de adultos mais velhos diagnosticados, e em especial diagnosticados tardiamente, ressalta a necessidade de elevar a conscientização neste grupo etário."

    Leia tudo sobre: HIVaids

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG