Greve de seguranças leva polícia da África do Sul a assumir estádios

Paralisação por aumento de salários afeta quase metade dos estádios da Copa do Mundo. Fifa não comenta

BBC Brasil |

selo

A polícia da África do Sul assumiu a segurança de mais um estádio da Copa do Mundo depois de greves de seguranças e funcionários recrutados pela organização do Mundial.

O último estádio afetado foi o Ellis Park, em Johanesburgo, onde ocorreu o primeiro jogo do Brasil na Copa, contra a Coreia do Norte.

Nesta terça-feira, centenas de seguranças e funcionários da organização da Copa do Mundo fizeram um protesto no Ellis Park exigindo aumento em seus salários.

Mil policiais foram convocados para o estádio depois dos protestos dos seguranças - contratados por uma companhia privada - antes do jogo entre Brasil e Coreia do Norte.

Greve

A greve pelo aumento de salários agora afeta quase metade dos estádios da Copa do Mundo.

Além do Ellis Park, a polícia sul-africana também assumiu a segurança em estádios em Durban, Cidade do Cabo e Port Elizabeth, onde os policiais começaram a fazer a segurança antes mesmo do Mundial começar.

Nos últimos dias, também ocorreram manifestações em Durban e Cidade do Cabo.

O presidente do comitê organizador da Copa do Mundo da África do Sul, Danny Jordaan, afirmou que reconhece o direito de greve dos funcionários, mas que interrupções em dia de jogo são inaceitáveis.

A Fifa ainda não comentou a greve.

    Leia tudo sobre: África do SulestádiosCopagreveseguranças

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG