Grã-Bretanha tem 1º Parlamento sem maioria desde 74

Opositores do Partido Conservador conseguem maior parte das cadeiras do Parlamento, mas sem maioria clara

BBC Brasil |

Pela primeira vez desde 1974, a Grã-Bretanha sai de uma eleição geral sem que um partido tenha alcançado a maioria simples para formar um novo governo.

O Partido Conservador, de oposição, foi o que obteve a maior parte das 650 cadeiras do Parlamento. Com 615 vagas definidas, os conservadores tinham 290, os trabalhistas - partido do primeiro-ministro, Gordon Brown - 247 e os liberais-democratas 51.

AP
Partido Trabalhista, de Gordon Brown, perde espaço e deve deixar a liderança do governo britânico
O resultado significa que o país tem um Parlamento sem maioria clara, um "hung parliament", fenômeno que ocorreu apenas em um ano desde a Segunda Guerra, 1974.

O líder dos Conservadores, David Cameron, disse, na madrugada desta sexta-feira, que "está claro que os Trabalhistas perderam seu mandado para governar".

Mas fontes ligadas a Gordon Brown disseram que ele está pronto para iniciar negociações para formar uma coalizão com o Partido Liberal-Democrata, o terceiro colocado nas urnas.

As projeções da BBC sugerem que os Conservadores terão 306 assentos. Se a Irlanda do Norte eleger dez parlamentares do Partido Unionista, Cameron poderá conseguir um total de 316. Mas isso poderá não ser suficiente para ele conseguir liderar o governo.

Os Trabalhadores e os Liberais-Democratas teriam juntos 317 assentos, de acordo com os números da BBC. Mas mesmo com uma aliança incluindo o Partido Social-Democrata e Trabalhista da Irlanda do Norte, ficariam com 320 - também insuficiente.

Os pequenos partidos nacionalistas do País de Gales e da Escócia também poderiam ter um papel importante em uma eventual coalizão. O Partido Verde conseguiu eleger um parlamentar pela primeira vez.

Acirrada

A eleição é vista como a mais acirrada na Grã-Bretanha desde 1992. David Cameron tenta chegar ao poder após 13 anos de governo dos Trabalhistas.

O sistema eleitoral britânico favorece o bipartidarismo, com o Partido Trabalhista e o Partido Conservador (que esteve no poder entre 1979 e 1997, com Margaret Thatcher e John Major) figurando como as principais agremiações.

O Partido Liberal-Democrata aparece como a terceira força, com uma votação histórica bastante inferior à dos trabalhistas e dos conservadores.

O partido que consegue eleger o maior número de deputados no Parlamento com 650 cadeiras tem o direito de formar o novo governo, com o líder do partido como primeiro-ministro. Mais de 44 milhões de pessoas estavam registradas para votar, mas o voto não é obrigatório.

O pleito deve eleger parlamentares e representantes distritais em 164 áreas em toda a Grã-Bretanha. No total, há quase 4.150 candidatos nestas eleições.

    Leia tudo sobre: Grã-Bretanhaeleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG