General demitido por Obama deve se aposentar

McChrystal foi afastado do cargo após a divulgação de críticas feitas por ele a membros do governo americano e publicadas na revista Rolling Stone

BBC Brasil |

selo

© AP
McChrystal é visto em audiência no Senado americano em dezembro de 2009
O general Stanley McChrystal, que na semana passada foi demitido pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, do cargo de comandante das forças militares americanas no Afeganistão, deve se aposentar e deixar as Forças Armadas.

Segundo informações divulgadas pela imprensa americana na segunda-feira, um porta-voz das Forças Armadas dos EUA afirmou que o general ainda deve apresentar um pedido formal de aposentadoria, e não está claro quando ele deixaria o Exército.

McChrystal, que comandava as forças militares lideradas pela Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) no Afeganistão desde maio do ano passado, foi afastado do cargo após a divulgação de críticas feitas por ele a membros do governo americano e publicadas na revista Rolling Stone.

No artigo, o general fazia críticas ao vice-presidente , Joe Biden, ao embaixador americano no Afeganistão, Karl Eikenberry, ao assessor de Segurança Nacional, James Jones, e ao enviado especial americano ao Afeganistão e ao Paquistão, Richard Holbrooke.

Petraeus

O indicado por Obama para assumir o cargo, o general David Petraeus, atual chefe do Comando Central dos Estados Unidos, deverá passar pela aprovação do Senado americano nesta terça-feira.

Petraeus é respeitado tanto por democratas quanto por republicanos, principalmente por sua atuação como comandante das forças americanas no Iraque, e a expectativa é de que seja confirmado no cargo.

Também nesta segunda-feira, o secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse que pretende reduzir os gastos do Pentágono em US$ 100 bilhões (cerca de R$ 178 bilhões) ao longo dos próximos cinco anos. Segundo Gates, a redução dos gastos deverá "levar tempo".

O secretário disse que programas e atividades desnecessários poderão ser cortados, e outros "conduzidos de forma mais eficiente" para economizar recursos.

Gates afirmou ainda que grande parte da atividade do Pentágono é feita por meio de contratos e indicou o subsecretário de Defesa para Aquisições, Tecnologia e Logística, Ashton Carter, para supervisionar os esforços de "melhorar a eficiência e a relação custo-benefício da maneira como compramos bens e serviços".

    Leia tudo sobre: Barack ObamaOtanAfeganistãoStanely McChrystal

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG