Gêmeas atacadas por raposa em Londres se recuperam em casa

Irmãs deixam o hospital e agora se recuperam dos ferimentos em casa. As duas passam bem e não correm risco de morte

BBC Brasil |

selo

A gêmea de nove meses de idade atacada por uma raposa dentro de sua casa em Londres deixou o hospital na quinta-feira, seis dias depois de sua irmã.

Isabella Kouparis e a irmã Lola estavam dormindo em seus berços quando o animal entrou em seu quarto e atacou as duas, no último dia 5 de junho. Isabella sofreu ferimentos nos braços e deixou o hospital na quinta-feira. Lola foi mordida no rosto e no braço.

Os pais das gêmeas, Nick e Pauline, declararam: "É incrível ter nossas meninas em casa de novo", depois que a segunda filha recebeu alta. "Como a Isabella acabou de chegar aqui em casa, queremos passar este dia maravilhoso comemorando em família", eles disseram.

Reprodução
Raposa fotografada por celular de policial logo após o ataque contra as gêmeas

Pauline Koupparis disse à BBC que foi checar as meninas quando ouviu "um choro estranho". Ela disse que quando entrou no quarto e acendeu a luz, a cena parecia um "pesadelo", com as meninas cobertas de sangue a raposa ainda no local.

"É algo que eu nunca esperaria que acontecesse com ninguém, muito menos com minhas meninas lindas", disse ela na época. Seu filho de 4 anos de idade, Max, também estava dormindo na casa, mas não foi ferido.

Um oficial da polícia chegou a fotografar uma raposa na casa pouco depois do ataque às gêmeas. Ele viu a raposa através da porta de vidro do jardim e tirou a fotografia usando seu telefone celular. Não se sabe se a raposa fotografada foi a mesma que atacou as meninas.

Especialistas estimam que cerca de 10 mil raposas vivem na capital britânica e dizem que os animais se adaptaram bem à vida urbana durante os últimos 50 anos, por encontrar bastante comida nos lixos e abrigo nos jardins e outros locais abertos.

    Leia tudo sobre: Grã-Bretanhaataqueraposa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG