Philippe Croizon completou a travessia de 34 quilômetros, utilizando próteses para pernas, em cerca de 13 horas

selo

Croizon teve de amputar membros depois de ser eletrocutado ao tentar remover uma antena do telhado
AFP
Croizon teve de amputar membros depois de ser eletrocutado ao tentar remover uma antena do telhado
Um francês de 42 anos de idade que teve as pernas e os braços amputados após um acidente completou neste sábado a travessia a nado do Canal da Mancha, trecho de mar que separa a Grã-Bretanha e a França.

Philippe Croizon deixou a cidade inglesa de Folkestone às  2h45 (horário de Brasília) e nadou até a cidade de Cap Gris Nez, na costa da França, onde chegou por volta de 16h13 (horário de Brasília). O nadador completou o trajeto de cerca de 34 km utilizando próteses especiais para as pernas e em um período mais curto que o previsto.

A equipe que apoia Croizon esperava que ele completasse a travessia em cerca de 24 horas, e não nas cerca de 13 horas e meia em que ele venceu o percurso.

Acidente

Há cerca de 16 anos, Croizon foi eletrocutado ao tentar remover uma antena de televisão do telhado de uma casa. Após o acidente, médicos tiveram que amputar seus quatro membros. Depois da travessia, Croizon disse à BBC que em nenhum momento acreditou que não conseguiria completar o percurso, apesar das dores que sentia em todo o corpo.

O pai do nadador afirmou que ele foi beneficiado por condições favoráveis de vento e que ele teria sido inclusive acompanhado por três golfinhos durante um período, o que interpretou como “sinal de boa sorte”.

Croizon se preparou por cerca de dois anos para realizar a travessia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.