FMI vai entrar nas discussões sobre possível ajuda à Irlanda

Comissário afirmou que UE já está preparando uma ajuda à Irlanda

BBC Brasil |

selo

O Fundo Monetário Internacional (FMI) afirmou nesta terça-feira que vai entrar em um dialogo direto com autoridades europeias para discutir uma possível ajuda financeira à Irlanda.

"A pedido das autoridades irlandesas, uma equipe do FMI irá participar de um diálogo curto e focado, junto com a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu, no sentido de determinar a melhor maneira para fornecer a ajuda necessária para combater riscos de mercado", disse o FMI em um comunicado.

"Nós recebemos bem a intenção das autoridades irlandesas em implementar um plano fiscal decisivo e plurianual e medidas para impulsionar e fortalecer o seu setor financeiro", afirmou o Fundo.

Ao fim de uma reunião entre ministros de Finanças europeus, realizada nesta terça-feira em Bruxelas, o comissário de Economia da União Europeia (UE), Olli Rehn, afirmou que o bloco já está preparando uma eventual ajuda financeira à Irlanda, caso o país peça auxílio.

O encontrou discutiu a instabilidade econômica no bloco e o déficit fiscal enfrentado por diversos países, como Irlanda e Portugal. Nenhuma medida foi anunciada ao fim da reunião.

Dinheiro em pouco tempo

"Estou bastante confiante que, se um pedido de ajuda financeira vier, será possível mobilizar uma quantia substancial de dinheiro em um período relativamente curto de tempo", disse Klaus Regling, executivo-chefe do Dispositivo Europeu de Estabilidade Financeira - órgão criado depois da crise da dívida da Grécia.

"Nós adotaremos ações (...) de uma maneira determinada e coordenada para salvaguardar a estabilidade financeira da zona do euro, se isto for necessário", disse, depois da reunião, o francês Jean-Claude Juncker, presidente do Eurogrupo (que reúne os ministros de Finanças dos países que adotam o euro).

Segundo Juncker, o Eurogrupo recebe bem a "determinação" do governo da Irlanda em discutir seus problemas com a UE, com o Banco Central Europeu e com o FMI, especialmente em relação às enormes dívidas dos bancos do país.

Irlanda rejeita ajuda

O primeiro-ministro da Irlanda, Brian Cowen, afirmou mais cedo que seu governo não havia pedido ajuda financeira, e disse que a economia irlandesa é sustentável pelo menos até o próximo ano.

No entanto, o correspondente da BBC em Bruxelas Matthew Price afirma que, embora a Irlanda não possa ser forçada a aceitar o resgate, a instabilidade no mercado financeiro pode colocar o país sob pressão.

Em discurso realizado pouco antes do encontro, o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, chegou a dizer que a União Europeia enfrenta uma "crise de sobrevivência" devido aos déficits na zona do euro.

Reação dos mercados Com a instabilidade na zona do euro, diversos mercados pelo mundo registraram perdas nesta terça-feira.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou o dia em baixa de 1,67%. Já o dólar comercial subiu 0,93%, a R$ 1,740 - maior valor desde setembro.

A bolsa de Nova York também teve queda: o índice Dow Jones registrou baixa de 1,59%, enquanto o Nasdaq caiu 1,75%.

As bolsas da Europa tiveram resultados ainda piores: Londres fechou em baixa de 2,38%, enquanto Paris teve uma queda de 2,63%.

    Leia tudo sobre: economia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG