Facebook suspende campanha ameaçadora contra câncer de testículo

Peça havia sido produzida pelo Departamento de Saúde do Canadá e foi considerada imprópria por rede social

BBC Brasil |

selo

O Facebook suspendeu a divulgação de uma campanha sobre os perigos do câncer de testículos em jovens e adolescentes, produzida pelo departamento de Saúde Pública de Toronto, no Canadá, por considerar a imagem utilizada "imprópria" e a linguagem, "inaceitável" e "ameaçadora".

A campanha, que iria começar nesta terça-feira, dia 21 de setembro, foi intitulada "Cheque Seu Pacote" (Check Your Package, em inglês). Ela veicularia uma mensagem que traz, no fundo, uma foto da região pélvica de um homem trajando roupa íntima, seguida da advertência: "Homens entre 15 a 35 anos estão no grupo de risco. 95% dos casos podem ser curados se diagnosticados cedo. Aprenda a fazer o auto-exame". O câncer de testículos é o tipo mais comum da doença entre homens canadenses.

Em 2009, foram registrados 900 novos casos no país. No Brasil, o câncer de testículos é considerado raro. Dados do Instituto Nacional de Câncer apontam entre três a cinco casos da doença para cada grupo de 10 mil indivíduos.

Decepção com Facebook

No início do mês, Roger Lu, funcionário do departamento de vendas de anúncios do Facebook, entrou em contato com os responsáveis pela campanha dizendo que anúncios inerentes à saúde pública são geralmente bem aceitos, "mas que deveriam focar na conscientização do problema e serem apresentados com bom gosto". Segundo ele, a campanha não poderia mostrar nenhuma parte específica do corpo, "particularmente a virilha de um homem".

Ele também dizia que a expressão "Cheque Seu Pacote" é "inaceitável" e que ambas as afirmações "homens entre 15 a 35 anos estão no grupo de risco" e "95% dos casos podem ser curados se diagnosticados cedo" são "ameaçadoras". A gerente de relações públicas do Departamento de Saúde Pública de Toronto, Mary Margaret Crapper, se disse "desapontada" com a reação do site Facebook à campanha, pela qual o governo pagaria 10 mil dólares canadenses (R$ 16,6 mil).

"Se nós não podemos falar sobre a parte do corpo afetada pelo câncer, então não há motivo para continuar com a campanha (no Facebook)", disse ela. O órgão esperava atingir uma boa parte dos mais de 500 milhões de usuários do Facebook.

De acordo com a empresa de pesquisa de marketing Inside Network, em maio desse ano o Facebook contava com quase 16 milhões de usuários no Canadá, o equivalente a 47,9% do total da população do país, com 33 milhões de habitantes. Diferentes versões da campanha foram testadas em grupos de opinião formados por estudantes universitários. Crapper afirma que o slogan "Cheque Seu Pacote" e a imagem em questão foram os favoritos entre os pesquisados.

O alerta continua

A campanha prosseguirá conforme planejado em universidades e colégios da cidade. A polêmica imagem se encontra na página do Departamento de Saúde Pública de Toronto no Facebook. A assessoria de imprensa do Facebook disse à BBC Brasil, por meio de um e-mail, que "o Facebook incentiva seus parceiros a serem criativos e persuasivos em suas campanhas, mas nós devemos garantir que a natureza de cada campanha se adeque às normas e diretrizes que criamos a fim de manter uma boa experiência por parte das pessoas que usam o Facebook".

"Nós trabalhamos com o departamento de Saúde Pública de Toronto no sentido de criar alternativas e incentivá-los a anunciar no Facebook para o apoio de importante causa." Essa seria a segunda vez que o Departamento de Saúde Pública de Toronto utilizaria o site Facebook para veicular suas campanhas. Crapper afirma que continuará a considerar o site para futuros projetos e espera que o eles "modifiquem sua política de anúncios".

    Leia tudo sobre: câncer de testículofacebook

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG