Explosão em mina deixa 27 desaparecidos na Nova Zelândia

Parentes dos mineiros desaparecidos disseram que não há informações sobre as condições dos homens nem sobre as causas da explosão

BBC Brasil |

selo

Uma explosão deixou 27 mineiros desaparecidos na madrugada desta sexta-feira em uma mina de carvão na Nova Zelândia. O prefeito da cidade de Greymouth, há cerca de 50 quilômetros da mina Pike River, disse que a situação era "bastante séria", mas que equipes de resgate já estavam no local.

Membros das famílias dos mineiros desaparecidos disseram que não há informações sobre as condições dos homens nem sobre as causas da explosão. Acredita-se que a explosão ocorreu por volta das 15h30 locais (00h30 em Brasília).

AP
Foto aérea mostra fumaça leve saindo da mina de carvão Pike River depois de uma explosão subterrânea perto de Atarau, Nova Zelândia
Segundo a polícia, um eletricista foi até a mina às 15h50 investigar uma queda de energia e encontrou o motorista de uma escavadeira que tinha sido arremessado pela explosão a uma distância de mais de um quilômetro para dentro do poço. Ao encontrá-lo, o eletricista soou o alarme. Os dois homens e outro mineiro deixaram o local a salvo e disseram a oficiais que outros três estavam chegando à superfície.

A empresa responsável pelas operações, Pike River Carvão, acreditava inicialmente que 36 homens estavam desaparecidos, com base no número de crachás ainda no quadro de funcionários. No entanto, o diretor executivo Peter Whittall disse que 27 ainda não foram localizados - 15 trabalhadores da empresa e 12 contratados locais. Ele também negou que qualquer corpo tenha sido encontrado.

"Não tive nenhuma notícia disso", disse ao canal de TV local TV3. "Dois mineiros foram retirados da mina e já estão sendo tratados na superfície, mas ainda não tivemos comunicação com ninguém no subsolo", afirmou.

Os dois mineiros que subiram antes tinham ferimentos leves, de acordo com Whittall, e já foram levados para o hospital. Um operador de câmera do canal TVNZ que foi até o local disse que parecia ter havido uma grande explosão. Havia árvores chamuscadas, fumaça sobre a área e uma cabana destruída.

'Situação horrível'

Equipes de resgate em minas e helicópteros estão sendo enviados ao local, onde já estão bombeiros, polícia e seis ambulâncias. O ministro da Mineração Gerry Brownlee disse que o governo destinaria quaisquer recursos necessários para o resgate. "A prioridade será tirar as pessoas de lá", disse. "Eu simpatizo com a situação das famílias. É uma situação horrível para eles estarem."

Brownlee disse que túneis de saída de emergência estavam sendo construídos dentro da mina, mas que não sabia se eles poderiam ser acessados pelos homens que estavam no subsolo. O especialista em mineração David Feickert disse à TVNZ que pode ter havido uma explosão de gás ou uma explosão de poeira de carvão, ou ambas.

"É o que as equipes de resgate estarão tentando descobrir no local. Isso é extremamente importante para saber o tipo de resgate que deve ser feito", disse. O prefeito de Greymouth, Tony Kokshoorn, disse à BBC que a situação é "caótica, mas controlada" e que os times de resgate estavam tentando ventilar a entrada da mina, para garantir que bolsões de gases explosivos não permanecerão no local. "Esperamos que tudo fique bem, mas a situação parece bastante séria no momento."

A polícia disse ainda que há preocupações de que o sistema de ventilação da mina tenha sido prejudicado pela queda de energia. A mina de Pike River é operacional desde 2008 e fica na costa oeste da ilha sul da Nova Zelândia. O local emprega cerca de 150 pessoas e é uma fonte de carvão usado na produção de aço. A mina fica na cordilheira Paparoa, do lado oposto da antiga mina Strongman State, onde uma explosão matou 19 mineiros em 1967.

    Leia tudo sobre: nova zelândiaminamineiros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG