'Exploradores urbanos' capturam beleza de locais abandonados

Prática, conhecida como "Urbex", implica em riscos, como presença de seguranças, cachorros, sensores de movimentos e prisões

BBC Brasil |

selo

A exploração urbana, ou urbex, é o hobby de visitar locais abandonados, como fábricas, túneis, catacumbas, linhas de trem e metrô, teatros, cinemas ou cidades. Alguns desses exploradores resolveram unir a adrenalina de se aventurar por esses lugares à arte da fotografia.

O resultados são imagens impressionantes, que mostram que também há beleza na desordem e na decadência. Para chegar aos lugares mais interessantes, os exploradores, muitas vezes, tem que desrespeitar algumas regras, a não ser uma: "não tirar nada que não sejam fotografias e não deixar nada além de pegadas".

A prática da exploração urbana pode ser considerada arriscada. "Urbex também significa entrar sem autorização em propriedades alheias e há riscos inerentes, como a presença de seguranças, cachorros, sensores de movimentos, prisões...", diz o fotógrafo Scott Haefner. "Outros riscos estão relacionadas à estrutura dos edifícios, à exposição a produtos químicos ou outras substâncias."



Chernobyl

Quando se fala de exploração urbana, uma referência quase inevitável para alguns é a cidade de Chernobyl, na Ucrânia, abandonada depois de um acidente nuclear em 1986. Trata-se de uma cidade inteira em ruínas à disposição dos aventureiros. Um cenário congelado no tempo à disposição dos fotógrafos. "É o lugar mais emocionante. Caminhar pelas mesmas ruas e ver tudo como era quando ocorreu o incidente. É difícil imaginar a emoção que se pode sentir", disse Dave Baker, fundador do site Talk Urbex, à BBC. O engenheiro suíço Timm Suess esteve lá e registrou belas imagens de escolas e parques de diversões. "Preparei a viagem a Chernobyl durante anos. É o lugar aonde todos querem ir quando se fala em exploração urbana."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG