Ex-chefe de agência de inteligência é acusado de mentir no currículo

Primeiro-ministro da Nova Zelândia ordena investigação sobre ex-chefe de agência que fornece dados de inteligência a militares

BBC Brasil |

selo

O primeiro-ministro da Nova Zelândia, John Key, ordenou a abertura de uma investigação sobre o ex-diretor da Agência de Defesa e Tecnologia do país, Stephen Wilce, por causa da suspeita de que ele inventou várias informações que incluiu em seu currículo.

A agência é responsável por fornecer dados de inteligência aos militares nas áreas ligados a temas científicos e de tecnologia. Wilce, que comandava havia cinco anos uma equipe de 80 pessoas, pediu demissão na última quinta-feira depois que uma reportagem no canal de televisão local TV3 o acusou de falsificar as informações.

Nascido na Grã-Bretanha, ele teria inventado, por exemplo, que serviu nas Forças Armadas britânicas e que integrou a seleção britânica de 1988 de bobsled, um esporte de inverno no qual três ou quatro pessoas descem pistas de gelo em uma espécie de trenó. Segundo a TV3, não há registros de Wilce ter sido um fuzileiros na Marinha britânica, como ele alegava, e ninguém da equipe britânica de bobsled de 1988 o conhece.

O canal destacou as falhas do serviço de inteligência neozelandês, que não detectou as mentiras. "Vamos analisar o processo realizado pela agência para verificar a autenticidade das credenciais do senhor Wilce. Também vamos examinar o atual processo e ver se há a necessidade de fortalecer esse sistema", afirmou Key.

    Leia tudo sobre: nova zelândiafraudecurrículo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG