EUA dizem que governo sírio 'incitou' protestos contra Israel

Segundo porta-voz da Casa Branca, governo de Bashar al-Assad quis desviar a atenção dos protestos pró-democracia dentro da Síria

BBC Brasil |

selo

Os Estados Unidos acusaram nesta segunda-feira o governo da Síria de ter incitado os protestos realizados na fronteira com Israel no domingo. "Nos opomos fortemente ao envolvimento do governo sírio de incitar os protestos de ontem nas Colinas do Golan", disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

AP
Palestinos no campo de refugiados de Yarmouk, na Síria, carregam caixões de mortos por repressão de Israel nas Colinas do Golan no Dia da Nakba
"Esse comportamento é inaceitável e não serve como distração da repressão em curso por parte do governo sírio contra manifestantes em seu próprio país", afirmou, ao referir-se às manifestações pró-democracia que ocorrem em território sírio.

Segundo a Casa Branca, o presidente sírio, Bashar al-Assad, teria incitado as manifestações contra Israel para desviar a atenção dos protestos pró-democracia e contra seu governo, que se espalham pela Síria há semanas.

"Nos parece evidente que há um esforço para desviar a atenção das expressões legítimas de protesto por parte do povo sírio e da severa repressão que o governo sírio tem usado contra seu próprio povo", disse o porta-voz americano.

Protestos

Os protestos de domingo ocorreram nas fronteiras de Israel com a Síria, o Líbano e os territórios palestinos, e deixaram pelo menos 15 mortos em confrontos com forças de segurança israelenses.

Na Síria, manifestantes vindos de campos de refugiados próximos a Damasco conseguiram furar o bloqueio das forças israelenses e cruzar a fronteira, entrando na aldeia de Majdal El Shams, nas Colinas do Golan.

As manifestações foram promovidas para marcar a chamada Nakba, palavra árabe que significa "catástrofe" e se refere à data de criação do Estado de Israel, lembrada no domingo. O governo de Israel disse que encaminhará ao Conselho de Segurança da ONU uma reclamação contra a Síria e o Líbano por infiltração em sua fronteira.

    Leia tudo sobre: israelpalestinosnakbasírialíbanogazacisjordânia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG