EUA confirmam entrada de chefe de polícia mexicana no país

Após receber ameaças de morte, jovem de 20 anos que comandava segurança de cidade na fronteira pede asilo ao governo americano

BBC Brasil |

selo

Autoridades de imigração americanas confirmaram nesta quarta-feira que a mais jovem chefe de polícia do México fugiu para os EUA, após receber ameaças de morte em seu país.

Marisol Valles Garcia ficou famosa em 2010 ao se transformar, com apenas 20 anos , na chefe de polícia da cidade fronteiriça de Praxedis G Guerrero, abalada pela violência do tráfico de drogas. Ela foi a única pessoa a aceitar o emprego.

AFP
Marisol Valles Garcia, em foto de outubro de 2010

Marisol estaria tentando asilo nos Estados Unidos depois de fugir pela fronteira para o Estado americano do Texas. A jovem foi demitida do cargo depois de faltar várias vezes ao trabalho sem apresentar justificativa.

"Ela terá a oportunidade de apresentar os fatos de seu caso perante um juiz de imigração imparcial", informou a Agência de Imigração e Alfandêgas dos Estados Unidos (ICE, na sigla em inglês).

Coragem

Marisol foi apontada como a mulher mais corajosa do México em outubro, quando assumiu o cargo de chefe de segurança pública em Praxedis G. Guerrero. A cidade está no Estado mexicano de Chihuahua e fica perto de Ciudad Juárez, a mais violenta do México, na qual mais de 3 mil pessoas foram mortas em assassinatos relacionados ao tráfico de drogas apenas em 2010.

Estudante de criminologia, Marisol assumiu o cargo depois do assassinato de seu predecessor, em 2009. Na segunda-feira passada ela foi demitida por não ter voltado ao trabalho depois de alguns dias de licença, que tirou para cuidar da filha. Desde então começaram os boatos de que ela tinha cruzado a fronteira para pedir asilo nos Estados Unidos. Gustavo de la Rosa, da Comissão Estatal de Direitos Humanos do México, disse que a ex-chefe de polícia pediu que não fosse revelado o lugar onde ela está com a família.

Os cartéis de Sinaloa e Juárez disputam o controle de uma lucrativa rota de tráfico de drogas, que segue paralela à fronteira com o Texas. Segundo o correspondente da BBC Mundo no México, Alberto Najar, a violência vem aumentando no país.

Desde que o presidente Felipe Calderón declarou guerra ao tráfico de drogas, quando assumiu o cargo em dezembro de 2006, o número oficial de mortos em eventos relacionados ao narcotráfico supera os 34 mil.

    Leia tudo sobre: méxicomarisoltráficoeuafronteiraimigração

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG