Estudo vincula 11/9 a abortos naturais de meninos

Segundo pesquisadores, sociedades podem reagir adversamente a eventos nacionais perturbadores, como o atentado de 2001

BBC Brasil |

selo

O estresse causado pelos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos pode ter provocado um aumento no número de abortos espontâneos de bebês do sexo masculino no país, dizem pesquisadores americanos.

Um estudo publicado na revista científica BioMed Central Journal constatou que, em setembro de 2001, houve um aumento de 12% no número de abortos de meninos após a vigésima semana de gravidez em comparação com dados relativos ao mesmo mês de anos anteriores.

As estatísticas também revelam que, três ou quatro meses após os ataques, houve menos nascimentos de meninos em todos os Estados americanos em 2001. O estudo, feito por especialistas da University of California parece confirmar a teoria do "luto comunitário".

"A teoria do luto comunitário propõe que sociedades podem reagir adversamente a eventos nacionais perturbadores, mesmo que não tenham conexão direta com pessoas envolvidas nesses eventos", disse o chefe da pesquisa, Tim Bruckner.

Segundo os pesquisadores, mulheres e fetos do sexo masculino são mais vulneráveis neste tipo de situação. "Nossos resultados sugerem que os choques de 11 de setembro podem ter ameaçado as vidas de fetos masculinos nos Estados Unidos". "Períodos de estresse, segundo relatos, estão associados a uma redução no índice de nascimentos de machos em várias espécies", disse Bruckner. "Acredita-se que isso seria um reflexo de algum mecanismo de seleção natural conservado para melhorar o índice de sucesso reprodutivo da mãe", ele explicou.

Pesquisa

Para fazer uma análise comparativa dos índices de mortes de fetos do sexo masculino, os pesquisadores reuniram estatísticas coletadas entre os anos de 1996 e 2002 nos Estados Unidos. A análise constatou que a média mensal de mortes de fetos masculinos no país naquele período foi de 995. A média mensal de mortes de fetos femininos foi de 871. Em setembro de 2001, no entanto, houve 120 abortos de fetos masculinos adicionais, um acréscimo de 12%. Bruckner disse que muitos abortos naturais não são comunicados às autoridades de saúde no país. Ele suspeita de que os números reais sejam bem maiores.

No dia 11 de setembro de 2001, em Nova York, dois aviões de passageiros foram dirigidos contra as torres gêmeas do World Trade Center, provocando o seu desabamento e a morte de quase três mil pessoas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG