Estudante tenta suicídio após manter colegas reféns durante aula

Com duas armas, adolescente de 15 anos manteve 23 colegas e professora como reféns durante cinco horas em Wisconsin

BBC Brasil |

selo

Um estudante de 15 anos manteve 23 colegas e uma professora como reféns na tarde da última segunda-feira em uma escola secundária nos Estados Unidos. Durante a noite, os reféns foram libertados . O rapaz atirou em si mesmo após a chegada da polícia.

AP
Estudante que foi mantido como refém com outros 22 colegas e professora fala com a imprensa em Marinette, Wisconsin
Os jovens e a professora ficaram presos por cinco horas dentro da escola, na cidade de Marinette, no Estado de em Wisconsin. O estudante, que tinha duas armas ao entrar no prédio, está internado. Ainda não há informações sobre seu estado de saúde.

Sem motivos

O estudante, que não foi identificado, entrou na escola pela manhã com duas armas - um pistola semiautomática de calibre 22 e uma 9 milímetros - e prendeu os colegas.

O chefe de polícia de Marinette, Jeff Skorik, disse que ele não fez exigências durante a negociação nem mencionou algum motivo pelo qual teria feito os reféns. As negociações foram feitas por intermédio da professora.

Às 19h40 hora local (23h40 em Brasília) o garoto concordou em libertar cinco estudantes porque precisava ir ao banheiro.

Minutos depois, a polícia ouviu três tiros. Ao entrarem na sala de aula, o rapaz atirou em si mesmo.  Os reféns foram imediatamente libertados e se reuniram com suas famílias do lado de fora.

O superintendente da escola, Tim Baneck, disse que todas as aulas foram canceladas nesta terça-feira.

    Leia tudo sobre: euaatirador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG