Equipe da Nasa chega nesta quarta ao Chile para ajudar em resgate

Médico, nutricionista, engenheiro e psicólogo ajudarão mineiros a lidar com as dificuldades de jazida onde estão há quase um mês

BBC Brasil |

selo

Uma equipe de especialistas da agência espacial Nasa chegará nesta quarta-feira à mina no Chile onde 33 mineiros estão soterrados há quase um mês. A equipe da Nasa é formada por um médico, um nutricionista, um engenheiro e um psicólogo, todos eles com experiência em missões espaciais.

Eles ajudam astronautas a lidar com as condições extremas e com meses de solidão no espaço. Os especialistas foram chamados a pedido do governo do Chile para ajudar os mineiros a se manter ocupados e de bom-humor durante os três ou quatro meses necessários para resgatá-los.

Reuters
Mineiros presos são vistos em jaziada de San José, no Chile (29/08/2010)
Até agora, os mineiros aparentam que estão aguentando o isolamento e as duras condições da mina. Nesta quarta-feira, eles devem comer a primeira refeição quente em 26 dias. Até agora, a alimentação dos mineiros esteve limitada a bebidas ricas em proteína e suplementos alimentares, que são enviadas a eles pelos estreitos túneis cavados a partir da superfície.

Nos primeiros dias depois do desmoronamento, quando eles ficaram soterrados sem comunicação com o exterior, os mineiros precisaram sobreviver por quase uma semana à base de um racionamento de atum, leite e biscoitos.

Na terça-feira, a televisão estatal chilena mostrou novas imagens de vídeo dos mineiros. Eles aparentavam estar mais saudáveis e animados do que no vídeo anterior.

Desculpas

Um dos donos da mina San José, onde os mineiros estão soterrados desde o dia 5 de agosto, pediu desculpas às vítimas durante uma audiência de um comitê do Congresso chileno que investiga o incidente.

"A dor causada por essa situação indesejada e imprevista merece que nós peçamos desculpas pela angústia vivida nestes dias. Foi uma situação terrível e esperamos que tenha um final rápido", disse Alejandro Bohn, um dos proprietários da mina.

Bohn também afirmou que os bens da companhia proprietária da mina estarão "à disposição" para que se possa encontrar uma solução para a situação dos mineiros, que estão presos a cerca de 700 metros de profundidade.

"Como empresa, faremos todo o possível para colocar à disposição de nossos trabalhadores e credores todos os bens que temos disponíveis para contribuir com eles no que for necessário", disse.

O executivo, no entanto, negou que a empresa tenha negligenciado as condições de segurança do local e afirmou que o Serviço Nacional de Geologia e Mineração do Chile autorizou a reabertura da mina em 2008 após serem apresentados estudos de viabilidade.

Há preocupações também com os salários dos mineiros, inclusive dos que conseguiram escapar do acidente. A empresa pagou todos os salários até agosto, mas há temores de que ela entre em processo de falência.

O governo chileno está ajudando os demais mineiros da empresa a encontrar outros empregos. Na noite da última segunda-feira, começaram os trabalhos de escavações para tentar retirar os trabalhadores da mina.

As autoridades acreditam que serão necessários de três a quatro meses para que o túnel possa ser concluído. O túnel terá aproximadamente 60 centímetros de largura. Quando estiver pronto, uma gaiola será içada para baixo, para resgatar cada mineiro, um a um.

    Leia tudo sobre: chileminanasamineirosresgatesan josé

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG