Dançarina do Costa Allegra tem irmão que estava no Concordia

Após filho sobreviver ao naufrágio de um cruzeiro na Itália, britânica se preocupa com filha em navio à deriva no Ocrano Índico

BBC Brasil |

selo

Após ter visto o filho escapar ileso da tragédia com o navio Costa Concordia , no mês passado, a britânica Jane Thomas jamais poderia pensar que passaria novamente por momentos de apreensão por causa de um navio de cruzeiro.

Os irmãos britânicos Rebecca e James Thomas, ambos dançarinos, trabalhavam nos navios da empresa Costa Cruzeiros que apresentaram problemas no mês passado e este mês.

Rebecca ainda está embarcada no Costa Allegra, que ficou à deriva no Oceano Índico após um incêndio , e não fez contatos com a família desde então.

Leia também: Após reboque, passageiros de navio serão levados de avião a Roma

O irmão dela, James, trabalhava no Costa Concordia, que naufragou na costa italiana em janeiro, deixando 32 mortos.

Jane Thomas afirma que o último contato com a filha ocorreu na segunda-feira, antes do incêndio.

"Foi apenas uma mensagem de bom dia", disse. "Não ouvimos nada da Costa (empresa que opera a embarcação) diretamente. Me sinto mais otimista porque o navio está sendo rebocado e não apenas flutuando no oceano", disse Jane, cuja filha passou a integrar a tripulação do Allegra em maio do ano passado.

Jane afirmou à BBC jamais ter pensado em passar pelo mesmo problema duas vezes. "Com tantos navios em operação, os dois que enfrentaram problemas foram justamente os que tinham meus filhos embarcados", comentou. Segundo ela, seu filho James ajudou passageiros do Costa Concordia antes de embarcar em um dos botes salva-vidas.

Apesar dos incidentes, Jane afirma que não vai interferir na decisão dos filhos de continuar trabalhando em navios. "Essa é uma escolha deles. James não quer voltar (a trabalhar em navios), por ora. Mas não sei o que Rebecca quer. Vou esperar que ela retorne para casa para falar sobre isso", disse.

Com a pane no sistema elétrico do navio, não há telefones de emergência, o que impossibilita a comunicação. Mas rádios e telefones devem ser levados à embarcação nas próximas horas, segundo autoridades que cuidam do resgate.

    Leia tudo sobre: itálianaufrágiocosta concordiacosta allegracruzeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG