Coreia do Sul abre prisão exclusivamente para estrangeiros

A Coreia do Sul inaugurou nesta terça-feira a primeira prisão construída exclusivamente para detentos estrangeiros. O cardápio da penitenciária é baseado na culinária ocidental, e a televisão interna exibe programas em inglês, chinês, russo e árabe.

BBC Brasil |

O número de presos estrangeiros na Coreia do Sul mais que dobrou nos últimos quatro anos, chegando a 1,5 mil.

O diretor da nova penitenciária disse que a ideia é mostrar que os detentos ainda terão a oportunidade de lutar pelo "sonho coreano" que os teria levado ao país.

O presídio fica na cidade de Cheonan, a cerca de 100 km da capital sul-coreana, Seul.

Os presos têm aulas sobre a cultura coreana, mas também têm direito a assistir a programas ocidentais e comer comida não-coreana.

Além disso, vários dos agentes penitenciários falam inglês, russo ou chinês.

Direitos humanos
A biblioteca da prisão também recebeu livros de diversas de embaixadas de diversos países representados em Seul.

Um prisioneiro americano afirmou a jornalistas que participaram de uma visita ao local que, em comparação aos presídios sul-coreanos comuns, a comida e a educação oferecidas em Cheonan são muito melhores.

O governo afirmou que o objetivo da penitenciária é respeitar os direitos humanos dos presos e tratá-los de forma humana, indiferentemente da língua, cultura ou religião a que pertençam.

"Vamos operar essas instalações de forma que os presos reconheçam que o seu sonho coreano não fracassou", disse o diretor, Kim Pyung-gun.

"Vamos passar-lhes uma mensagem de esperança."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG