Coreia do Norte anuncia reunião para 'eleger novos líderes'

Partido Comunista fez anúncio por meio da agência de notícias oficial. Especula-se que encontro pode iniciar processo de transição

BBC Brasil |

selo

O partido comunista da Coreia do Norte anunciou neste sábado que celebrará em setembro uma reunião extraordinária para eleger o seu birô político. O anúncio, difundido por meio da agência de notícias oficial, diz que o encontro do mais alto órgão de liderança do regime coreano "reflete os novos requisitos do Partido dos Trabalhadores da Coreia".Será a terceira conferência deste nível do partido em seis décadas desde a fundação da Coreia do Norte. A nota oficial diz que "este é um ano de grandes mudanças".

Analistas especulam que o evento pode ser o início de uma transição de poder dentro do regime coreano, um dos mais fechados do mundo. Nos últimos anos ganhou força a informação de que o líder do país, Kim Jong-Il, está doente e preparando seu filho de 27 anos, Kim Jong-Un, educado na Suíça, para assumir o poder, da mesma forma como ele sucedeu o pai após a sua morte, nos anos 1990.

Segundo informações da inteligência sul-coreana, o regime de Pyongyang começou recentemente a promover canções e poemas louvando Kim Jong-Un. O correspondente da BBC em Seul, John Sudworth, disse que é provável que Kim Jong-il continue no posto de secretário-geral do partido, com a conferência servindo para sinalizar o início de um "período de transição".

Este processo é acompanhado de perto por países preocupados com o aumento das tensões entre as duas Coreias, que aumentou depois do afundamento, em março, do navio de guerra sul-coreano Cheonan, um incidente que matou 46 marinheiros sul-coreanos.

Uma investigação internacional concluiu que o navio foi afundado por um torpedo disparado de um navio norte-coreano. Em meio ao temor de que os norte-coreanos estejam preparando uma nova rodada de testes de mísseis, os Estados Unidos alertaram a Coreia do Norte para que o país não cometa atos "que aumentem a tensão na região".

    Leia tudo sobre: CoreiaKim Jong-Il

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG