Coreia do Norte anuncia que partido único elegerá nova direção

Congresso será o primeiro em três décadas e poderia abrir caminho para líder norte-coreano anunciar sucessor

BBC Brasil |

selo

O partido que governa a Coreia do Norte anunciou nesta semana que realizará em 28 de setembro o seu primeiro Congresso em três décadas, o que poderia abrir caminho para que o líder Kim Jong-il anuncie seu sucessor. Kim Jong-il, de 68 anos e há 16 no comando do país, sofreu um derrame em 2008.

Há poucas informações e muitas especulações sobre seu estado de saúde. Acredita-se que, na conferência, o Partido dos Trabalhadores apontará o seu terceiro filho, Kim Jong-un, para um dos postos de liderança na sigla.

Pouco se sabe sobre Kim Jong-un. Ele tem 26 ou 27 anos e foi educado na Suíça. A possível realização de um Congresso já vinha provocando especulações há várias semanas.

O encontro foi confirmado na terça-feira em um breve comunicado na agência estatal de notícias. "A conferência do Partido dos Trabalhadores da Coreia para eleger o seu grupo de liderança suprema vai acontecer em Pyongyang no dia 28 de setembro", afirma o comunicado.

Sucessão

Em um Congresso realizado em 1980, Kim Jong-il foi promovido para uma posição de destaque dentro do partido. Na época, isso foi visto como uma indicação de que ele seria o sucessor de Kim Il-sung, seu pai, que liderava o país na época. Em 1994, quando Kim Il-sung morreu, Kim Jong-il assumiu a Coreia do Norte.

Nos últimos meses, o partido passou por algumas mudanças políticas, que estariam ligadas à troca no comando do país, segundo alguns analistas. O cunhado de Kim Jong-il, Jang Song-thaek, foi nomeado para uma das vagas de vice-líder da Comissão Nacional de Defesa, depois de passar anos longe do alto comando político do país.

Analistas acreditam que Jang poderia servir como uma espécie de tutor para Kim Jong-un. Outros dois vice-líderes da Comissão Nacional de Defesa também estavam em evidência na política norte-coreana recente, segundo analistas.

O político O Kuk-ryol, que no passado teria participado de um esquema oficial para falsificação de notas de US$ 100, está orientando Kim Jong-un sobre as operações do governo contra a Coreia do Sul. O vice-diretor do Departamento de Organização e Orientação do Partido dos Trabalhadores, Ri Je-gang, teria recebido a incumbência de tornar a transição de poder no país o mais suave possível.

No entanto, Ri, que era rival de Jang Song-thaek, morreu recentemente em um acidente de carro. Analistas sugerem que ele possa ter sido vítima de uma conspiração.

    Leia tudo sobre: coreia do nortekim jong-ilKim Jong-un

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG