Condenado à pena de morte suicida-se após ter sentença revertida

George Smithey, de 70 anos, foi condenado em 1989 por matar uma mulher; ele sofria de retardo mental

BBC Brasil |

selo

Um preso nos Estados Unidos que estava condenado à pena de morte suicidou-se na mesma semana em que seus advogados conseguiram reverter a sentença de morte para prisão perpétua.

Segundo o jornal americano San Francisco Chronicle, George Smithey, de 70 anos, enforcou-se com seus lençóis em sua cela na prisão de San Quentin, no Estado da Califórnia. Seu corpo foi encontrado no sábado. Ele estava preso há 31 anos. O porta-voz da prisão disse que não está claro se Smithey sabia que sua pena de morte havia sido revertida.

Smithey foi condenado à morte em 1989 por matar uma mulher após invadir a sua casa, no ano anterior. Ao longo das últimas décadas, o caso foi sendo rediscutido pela Justiça americana. Ele sofria de retardo mental.

Em 1989, o juiz do caso não aceitou a alegação de retardo mental como defesa. No entanto, em 2002, uma decisão da Suprema Corte americana mudou a jurisprudência para esse tipo de caso. Psicólogos avaliaram Smithey e constataram que ele sofreu de problemas mentais durante a maior parte da sua vida adulta.

No último dia 23, os promotores públicos anunciaram que não contestariam a decisão da Suprema Corte americana de transformar a pena de morte de Smithey em prisão perpétua. Cinco dias depois, o corpo do prisioneiro foi encontrado na sua cela.

    Leia tudo sobre: euapena de mortesuicídioenforcamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG