Comércio mundial vai crescer 10% em 2010, prevê OMC

Volume comercializado no mundo sofreu retração de 12,2% em 2009

BBC Brasil |

selo

A Organização Mundial do Comércio (OMC) prevê um crescimento de 10% no volume do comércio mundial neste ano, afirmou nesta sexta-feira o diretor da entidade, Pascal Lamy. A previsão é melhor do que o prognóstico feito em março, de aumento de 9,5% no comércio mundial.

Um relatório sobre o estado do comércio mundial, divulgado nesta sexta-feira, afirma que o volume comercializado no mundo sofreu retração de 12,2% em 2009.

"A crise financeira e econômica que abalou a economia mundial nos últimos meses de 2008 produziu uma recessão global em 2009 que resultou no maior declínio no comércio mundial em mais de 70 anos", afirma o relatório, que foi lançado na China, durante a Expo Xangai.

"A OMC prevê uma modesta recuperação em 2010, que deve reverter um pouco o impacto do colapso do comércio."

Lamy disse nesta sexta-feira que grande parte do crescimento do comércio em 2010 vai acontecer devido ao dinamismo da economia chinesa. Ele ressaltou que se não houver imprevistos até o fim do ano, o crescimento do comércio mundial pode superar 10% em 2010.

Recursos naturais

A queda é ainda mais acentuada se avaliado em dólares, em vez de volume. Em dólares, o comércio mundial sofreu retração de 22,6%, mais do que o dobro do percentual da queda no volume comercializado. Segundo a OMC, isso se deve em grande parte à queda brusca nos preços do petróleo.

Desde 1965, o comércio mundial registrou baixa apenas em três anos (1975, 1982 e 2001), mas nunca superior a 7%.

A grande queda do comércio mundial em 2009 é atribuída à crise financeira que começou com o problema das hipotecas no mercado imobiliário americano em 2008. Segundo o relatório, o impacto da crise foi "ampliado pelo fato de o declínio [econômico] ter sido sincronizado através dos países e regiões, e pelo crescimento das ligações comerciais globais nos últimos anos".

Grande parte do relatório anual sobre comércio da OMC foi dedicada neste ano à análise da comercialização de recursos naturais. Segundo a entidade, os recursos naturais representam 24% - ou US$ 3,7 trilhões - do total comercializado em todo o mundo em 2008.

Apesar de o volume de recursos naturais comercializados ter crescido em um ritmo moderado ao longo das décadas, o valor em dólares dessas mercadorias vem aumentando 20% ao ano, em grande parte devido ao aumento do preço do petróleo nos últimos dez anos.

A Rússia lidera a lista de exportadores de recursos naturais, com 9,1% do total global. A Arábia Saudita está em segundo lugar, com 7,6% das exportações deste tipo de produto.

Em um prefácio no relatório, o diretor da OMC alerta que a disputa por recursos naturais é um tema sensível, já que poucos países concentradores de gandes recursos naturais detêm muito poder.

Para Pascal Lamy, a cooperação no comércio internacional de recursos naturais é importante para eliminar tensões entre os países e desequilíbrios de riqueza.

"Eu acredito não só que há espaço para negociações de benefício mútuo, que englobam comércio de recursos naturais, como também que o fracasso em se lidar com esses temas é uma receita para o aumento das tensões nas relações comerciais internacionais", afirma Lamy.

    Leia tudo sobre: Comércio internacional

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG